O Facebook recebe muitas críticas de diversas personalidades, por se recusar a regular o discurso político na rede social, pela sequência interminável de violações de privacidade e por sua aparente proximidade com o governo Trump nos últimos tempos.

Um dos críticos mais proeminentes da plataforma é, de forma inesperada, o ator, comediante  e escritor Sacha Baron Cohen. De fato, seu poderoso discurso à Liga Anti-Difamação em novembro, caracterizando o Facebook como “a maior máquina de propaganda da história”, rapidamente se tornou viral.

publicidade

No entanto, Baron Cohen não esvaziou seu arsenal de críticas à rede social de Mark Zuckerberg. Ontem, ele tuitou: Não permitimos que uma pessoa controle a água de 2,5 bilhões de pessoas. Não permitimos que uma pessoa controle a eletricidade de 2,5 bilhões de pessoas. Por que deixamos um homem controlar as informações vistas por 2,5 bilhões de pessoas? O Facebook precisa ser regulado pelos governos, não governado por um imperador!”

 

 

 

Logo depois, o fundador da Tesla, Elon Musk, respondeu de manhã, tuitando “#DeleteFacebook, é tosco”.

Pode-se imaginar que Musk, que sempre falou o que pensa, foi encorajado pelo grande aumento no valor da Tesla. Mas a verdade é que Musk tem sido um crítico do Facebook, tuitando em 2018, após excluir as páginas de suas empresas da rede social, dizendo simplesmente “Não gosto do Facebook, desculpe”.

Musk e Zuckerberg também “bateram cabeça” no passado quando o assunto foi inteligência artificial (IA), com Musk classificando o entendimento de Zuckerberg sobre IA como “limitado”.

 

Via: TechCrunch