EnglishPortugueseSpanish

Os processadores usados em notebooks produzem calor durante sua operação, e é por isso que as máquinas têm ventoinhas e saídas de ar para retirar o calor de seu interior e jogá-lo no ambiente. E se você já leu o manual que veio com seu portátil, certamente viu um aviso dizendo para não cobrir as saídas de ar ou usar a máquina sobre superfícies “moles”, como travesseiros e cobertores, justamente para evitar que isso ocorra.

Normalmente, uma máquina que superaquece se desliga sozinha, gracas a circuitos de proteção criados para evitar danos ao hardware. Se você tiver azar, pode acabar “queimando” o processador ou um outro componente essencial. Mas sempre há o risco de danos maiores, como aconteceu com uma mulher da cidade de Onshawa, na província de Ontário, no Canadá.

publicidade

Sabrina Ruelland estava jantando e assistindo TV com sua filha quando o alarme de incêndio de seu apartamento disparou. Inicialmente ela não viu fumaça ou chamas, até que notou um “brilho vermelho” sob a porta de seu quarto. Ao abrir a porta, se deparou com a parede, o chão e uma mesa em chamas.

Reprodução

Sabrina Ruelland mostra os danos que seu quarto sofreu após um incêndio causado por seu notebook. Foto: CTV News

A mulher havia deixado seu notebook carregando sobre uma mesa, forrada com uma toalha, e foi ele o foco do incêndio. Segundo Derrick Clark, chefe dos bombeiros da cidade, “o notebook estava sobre material inflamável, e quando a máquina chegou a uma certa temperatura, foi o suficiente para acender o fogo”.

publicidade

“Não importa se é um notebook ou telefone celular. As baterias geram calor durante o funcionamento, especialmente quando estão carregando”, afirmou.

“Meu quarto inteiro ficou preto”, disse Sabrina a uma estação de TV local. “Tudo derreteu”. O apartamento sofreu danos extensos e muitos objetos pessoais foram destruídos. Felizmente Sabrina, sua filha e os outros moradores do prédio escaparam sem ferimentos.

Fonte: CTV News