EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Já faz algum tempo que a Tesla oferece aos compradores de seus carros dois tipos diferentes de recursos de inteligência artificial: o primeiro é o Autopilot, que é capaz de manter a distância entre veículos à frente, evitar obstáculos e até mesmo mudar de pista sem intercenção do motorista.

O outro é um pacote mais caro chamado Full Self-Driving (FSD) que além de recursos como o Smart Summon (que “chama” um carro estacionado até onde está o proprietário) e estacionamento autônomo incluirá, no futuro, a capacidade do carro se conduzir de forma totalmente autônoma, sem intervenção do motorista.

publicidade

Para ter o Autopilot o proprietário precisa desembolsar US$ 3.000 (cerca de R$ 16 mil), mas o pacote FSD é bem mais caro: US$ 7.000 (cerca de R$ 38 mil). Entretanto, a Tesla quer facilitar o acesso a este recurso. Em uma conferência com investidores, Elon Musk afirmou: “acredito que também teremos isto (FSD) como um serviço de assinatura, mas será mais próximo do fim deste ano”.

Reprodução

“Em nossa visão, comprar o FSD é um investimento no futuro, e estamos confiantes que é um investimento que se paga para o consumidor”, disse Musk. “Acho que o FSD é uma opção que as pessoas não se arrependerão em ter”.

A Tesla vem prometendo um sistema de direção completamente autônoma há algum tempo, e chegou a garantir que iria iniciar a operação de uma frota de táxis robotizados ainda em 2020. O recurso, entretanto, não se materializou. Na mesma conferência, Musk afirmou que o serviço estará disponível “em alguns mercados” em 2021.

publicidade

Fonte: Engadget