EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Durante alguns anos, distúrbios gravitacionais levaram diversos astrônomos a especular a existência de um misterioso Planeta Nove orbitando o nosso Sol. Algumas teorias ainda dizem que pode se tratar de um minúsculo, mas extremamente pesado, buraco negro preso pela força gravitacional da estrela. Agora, Ed Witten, físico do Instituto de Estudos Avançados, em Princeton, Nova Jersey, possui um plano para encontrar a singularidade.

O grande problema em buscar um buraco negro é que, se ele realmente existir, seria quase impossível encontrá-lo. Para ter a massa atribuída ao Planeta Nove, essa região do espaço-tempo teria apenas cinco centímetros de largura, o que a faria ser invisível na imensidão do universo. Para resolver a adversidade, Witten sugere o uso de uma frota gigantesca de naves espaciais minúsculas. Se pelo menos uma unidade for desviada por uma força inesperada, o físico afirma que seria um sinal da existência do buraco negro.

publicidade

Entretanto, apesar de diversos pesquisadores já terem falado do uso de minúsculos veículos espaciais para a exploração espacial, eles ainda não foram desenvolvidos. “Se um estudo mais aprofundado do Cinturão de Kuiper reforça a existência do Planeta Nove, observações com telescópios ou análises de matéria escura não comprovam isso”, afirmou Witten. “Então, uma pesquisa direta com uma frota de naves espaciais em miniatura pode se tornar atraente, concluiu.

Via: Futurism