EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Na sexta-feira (22), a Rússia lançou o foguete Soyuz-2 com o objetivo de levar um satélite militar até a órbita do planeta. No entanto, uma peça da terceira fase do voo – de um total de quatro – foi responsável por um momento bastante interessante no céu.

Os responsáveis pelo voo previram que o terceiro estágio do foguete reentrasse na atmosfera da Terra no sudeste da Austrália, com quaisquer detritos sobreviventes daquela parte destinada a cair no Oceano Pacífico. A previsão se confirmou, e o processo de queda pôde ser observado por alguns moradores do país.

publicidade

publicidade

Muitas pessoas do centro de Vitória e do norte da Tasmânia viram a brilhante bola de fogo atravessando o céu. Alguns não entenderam do que se tratava, pensando que poderia ser um asteroide ou rocha adentrando nossa atmosfera.

No entanto, segundo Jonti Horner, professor de astrofísica da Universidade do Sul de Queensland, em entrevista à Australian Broadcasting Corporation, a “velocidade lenta, de cerca de seis quilômetros por segundo, é um sinal muito revelador de que se trata de lixo espacial”. Ainda de acordo com ele, outros corpos que atingem a nossa atmosfera são muito mais rápidos.

O site Russian Space Web destacou que esse lançamento – o quarto do tipo – faz parte do projeto EKS OiBU feito para levar satélites ao espaço. O principal objetivo é o de criar uma rede interligada para alertar sobre possíveis ataques de mísseis à Rússia.

Via: Space