EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Para não expor os estudantes de medicina nem os médicos durante a pandemia do novo coronavírus, um hospital de Tóquio, no Japão, começou a transmitir cirurgias em realidade virtual. Assim, os estudantes conseguem aprender e ainda visualizar as operações como se estivessem lá.

Os cirurgiões da Universidade Médica Feminina de Tóquio, conhecida por experimentar robôs médicos e algoritmos de inteligência artificial, agora realizam cirurgias sob o atento olhar de uma câmera de realidade virtual em 8K. Dessa forma, os alunos que não conseguirem comparecer pessoalmente às aulas podem acompanhar de casa, usando um headset de realidade virtual.

publicidade

Embora essa ideia tenha surgido para evitar maiores complicações durante uma crise de saúde global, seus efeitos podem ser duradouros. A educação médica pode ficar mais acessível tanto para estudantes quanto para o público em geral.

Reprodução

Mulher usando óculos de realidade virtual. Imagem: Reprodução

“Especialmente na situação atual, acreditamos que a transmissão ao vivo em realidade virtual é muito útil, porque você pode compartilhar uma experiência imersiva e evitar o contato humano”, afirmou Naotaka Fujii, CEO da VR Hacosco, empresa que desenvolveu o sistema, em um blog da fabricante de câmeras Insta360.

publicidade

Como a câmera fica suspensa acima da mesa cirúrgica, os alunos não terão uma perspectiva tão íntima quanto teriam se estivessem em uma operação de verdade. Contudo, a câmera dá uma visão melhor do que se os estudantes ficassem olhando por cima dos ombros do cirurgião ou assistissem do lado de fora da sala de cirurgia. Essa tecnologia mostra que as transmissões ao vivo podem melhorar o ensino de medicina mesmo após a pandemia.

“A realidade virtual definitivamente está progredindo no campo da medicina”, explicou Fujii. “Está se tornando cada vez mais comum em aplicações de pesquisa e educação, como este projeto, e na reabilitação pós-operatória”.

Via: Futurism