EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Governo de São Paulo divulgou nesta sexta-feira (29) uma série de restrições de funcionamento que serão aplicadas à reabertura de shoppings e comércios de rua em cidades paulistas. As normas valem para os municípios autorizados a reestabelecer atividades econômicas no âmbito do programa estadual de flexibilização de regras de isolamento social, Retomada Consciente.

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, os estabelecimentos dos municípios classificados na fase 2 (laranja), a exemplo da cidade de São Paulo, poderão funcionar com 20% da capacidade e com horário restrito a quatro horas por dia.

publicidade

Reprodução

Classificação de regiões do estado de acordo com os indicadores do plano “Retomada Consciente”. Imagem: Reprodução/GovernoSP

Já em cidades enquadradas na fase 3 (amarela), os negócios são permitidos a operar com 40% da capacidade, em jornadas de seis horas diárias. As praças de alimentação de shoppings, no entanto, devem permanecer fechadas.

Na fase 4 (verde), não há restrições de horário de funcionamento e a capacidade é ampliada para 60%. Porém, até o momento, nenhuma cidade paulista recebeu essa classificação. Patrícia Ellen disse que cabe aos prefeitos definirem os detalhes das medidas, como os horários adequados de operação.

publicidade

“Ainda estamos em um momento de tomar muito cuidado, sair somente se for estritamente necessário”, disse a secretária.”Não estamos saindo a passeio. Temos de ter muita responsabilidade neste momento para que os resultados sejam alcançados.”, afirmou.

Em relação a bares, restaurantes e negócios similares, a abertura é permitida somente na fase 3, limitada a serviços ao ar livre. As restrições, no entanto, são as mesmas aplicadas em shoppings e comércios classificados com o mesmo indicador.

Reprodução

A fase de cada região do estado será reavaliada em períodos de 7 dias, com possibilidade de avanço ou recuo em 14 dias. Imagem: Reprodução/GovernodeSP

Protocolos obrigatórios

Todas as cinco etapas do programa ainda determinam a aplicação de protocolos padrões e setoriais específicos para cada atividade. Essas diretrizes devem tratar de medidas de higiene e distanciamento social. Elas poderão ser definidas pelos próprios municípios junto a representantes dos setores envolvidos.

Na capital paulista, o prefeito Bruno Covas (PSDB) afirmou em coletiva na quinta-feira (28) que lojas e shoppings só poderão abrir após assinarem protocolos de higiene. Ele ressaltou que apesar do programa Retomada Consciente mencionar a reabertura dos estabelecimentos no dia 1º de junho, a data marca apenas o início do processo de análises de protocolos apresentados pelas entidades representantes de setores da economia.

“Não vamos dar prazo, para não ficar refém desse prazo. Assim que a Vigilância Sanitária permitir, reabre”, afirmou o prefeito. Covas ainda disse que a fiscalização do comércio deve ser reforçada a partir de segunda-feira (1).

Fonte: O Estado de São Paulo