O eBay fechou acordo para vender sua unidade de classificados para a norueguesa Adevinta, que detém marcas como a OLX, no Brasil. O negócio avaliado em US$ 9,2 bilhões cria o maior grupo de anúncios classificados do mundo.

Pelos termos do acordo, o site de leilões vai receber US$ 2,5 bilhões em dinheiro e US$ 540 milhões em ações da Adevinta, o que tornará a companhia norte-americana maior acionista do grupo norueguês, com uma participação de 44%.

publicidade

“Essa venda cria valor a curto e longo prazo para acionistas e clientes, enquanto nos permite participar do potencial futuro dos negócios de classificados”, declarou Jamie Iannone, CEO do eBay, em comunicado.

Reprodução

Negócio cria o maior grupo de anúncios classificados do mundo. Foto: Pixabay

Com a compra, a Adevinta expande sua presença em 20 países, com a Europa sendo o maior mercado. A receita estimada é de US$ 1,8 bilhão, e o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização é de quase US$ 600 milhões.

As ações da norueguesa, que se separou da companhia nórdica de mídia Schibsted e foi listada na bolsa de Oslo no ano passado, saltaram quase 40% depois que os negócios foram retomados. 

Leilão na internet

A prática do leilão online evoluiu muito desde seu início em 1995, quando o eBay foi criado. Prova disso, são os mais diversos itens que são vendidos pela internet, que antes eram improváveis de serem comercializados desta forma.

Um bom exemplo foi a aquisição de um foguete realizada em abril deste ano por um comprador anônimo. A máquina espacial foi arrematada por quase R$ 30 milhões em um leilão online transmitido ao vivo, organizado pelo site de comércio eletrônico chinês TaoBao. 

Para participar os interessados deveriam fazer um depósito de cerca de US$ 4.600 (cerca de R$ 23.700), o que foi feito por quase 800 pessoas em cerca de cinco minutos. Dois milhões de pessoas acompanharam o leilão.

Além do foguete, o comprador também levou um pacote completo de lançamento, incluindo acesso ao local e uma pintura customizada no corpo do veículo.

Via: O Globo