Esta semana, a fintech Nubank iniciou o processo de liberação de um novo recurso para seus usuários, a opção de utilizar o débito online. Com isso, clientes que utilizam apenas a funcionalidade de conta digital oferecida pela empresa, podem gerar uma versão virtual do cartão para ser usado em estabelecimentos que aceitem essa opção.

Atualmente, aplicativos de delivery, transporte, streamings de música e algumas lojas online aceitam o meio de pagamento, como maneira de facilitar a forma como as compras pela internet são feitas.

publicidade

A numeração do cartão é exclusiva e muda constantemente. A partir do aplicativo, ele pode ser bloqueado e desbloqueado facilmente. Ao fim da utilização, também é possível apagá-lo definitivamente.

Nubank_Image_02.jpg

Utilização do cartão virtual pode facilitar realizar compras online. Foto: Nubank/ Divulgação

Em nota, o Nubank afirma que essa funcionalidade foi liberada por conta do crescimento no número de transações online feitas durante o período da pandemia. Além disso, a empresa diz que, atualmente, 20% das compras feitas com o cartão da fintech são online.

A empresa ressalta que as mudanças serão percebidas pelos usuários que possuem apenas a conta digital oferecida. Aqueles que contam com o cartão de crédito, não haverá nenhuma alteração. A função de débito funcionará da mesma forma, basta escolher se deseja pagar uma compra no débito ou crédito quando finalizar um pagamento.

Gerar cartão

Para gerar um novo cartão de débito virtual, o usuário deve escolher a opção “Cartão Virtual” dentre os atalhos disponíveis no aplicativo. Em seguida, será necessário digital a senha de quatro dígitos. Com isso, os dados do novo cartão, como número, código de segurança (CVV) e data de vencimento, aparecerão.

Prejuízo no primeiro semestre

O primeiro semestre deste ano foi de prejuízo para o Nubank. A fintech registrou um deficit de R$ 95 milhões nos seis primeiros meses de 2020. Entretanto, esse valor é 32% menor do que o rombo registrado no mesmo período do ano passado.

De acordo com o diretor financeiro da companhia, Marcelo Kopel (que trocou o Itaú pelo Nubank em janeiro deste ano), o prejuízo é uma decisão da empresa. Em uma publicação no blog da fintech, Kopel diz que esse resultado era esperado como parte da estratégia de crescimento neste momento.

“Escolhemos investir na empresa, nas pessoas e no desenvolvimento de novas tecnologias para continuar entregando a melhor experiência aos nossos clientes”, escreveu o diretor financeiro. “Este modelo é bastante conhecido e usado por empresas de tecnologia”, explicou.

Via: Exame