EnglishPortugueseSpanish

A partir desta segunda-feira (21), os usuários do Facebook poderão reivindicar direitos sobre as imagens compartilhadas na plataforma e solicitar que elas sejam removidas, como informou o The Verge. A atualização, que chega primeiro a parceiros selecionados, abrange todas as redes sociais da companhia, incluindo o Instagram

O Rights Manager for Images, como foi chamado o recurso, é uma versão expandida do Rights Manager, que funciona de maneira semelhante para outros tipos de conteúdo, como vídeos.

publicidade

Agora, os criadores poderão fazer upload de arquivos CSV que contenham os metadados da imagem que se reivindica, e, partir disso, o Facebook encontrará conteúdo semelhante publicado em outros perfis. O proprietário, então, poderá escolher entre manter a imagem, removê-la ou bloqueá-la em alguns territórios. 

Reprodução

Rights Manager for Images será lançado primeiro para parceiros selecionados, e depois oferecido para mais usuários. Imagem: Divulgação/Facebook

Apesar de ter uma motivação plausível, a nova ferramenta apresenta um óbvio ponto fraco: o que acontece se duas pessoas solicitarem direitos sobre a mesma imagem? 

Nesse caso, o The Verge informa que o Facebook vai ceder a propriedade a quem tiver feito o pedido primeiro, enquanto a outra parte poderá recorrer da decisão preenchendo um formulário apropriado na Central de Ajuda da rede social. 

O gerente de produtos e direitos da companhia, Dave Axelgard, afirmou que ainda serão feitos ajustes para garantir que o recurso seja utilizado “de maneira adequada”.

“Queremos ter certeza de que entendemos muito bem a sua usabilidade por parceiros confiáveis antes de expandi-lo, porque, como você pode imaginar, uma ferramenta como esta é muito sensível e poderosa”, disse. 

Possíveis impactos 

Como observou Axelgard, a atualização tem potencial para ocasionar mudanças consideráveis no tipo de conteúdo que se consome no Instagram. Basta pensar nos perfis de trechos de filmes e memes, por exemplo. 

Nesse sentido, a ferramenta levanta uma discussão. Quando se edita uma imagem que já existe, ela é considerada cópia da original ou assume a forma de uma nova criação? Serão passíveis de remoção somente as postagens idênticas ou também as que forem acrescidas de texto e outros recursos gráficos? 

Essas questões não foram elucidadas pelo anúncio do Facebook, e serão respondidas com o avanço dos testes com a ferramenta. Também não foram revelados quais parceiros poderão testar o recurso, nem tampouco fornecida uma data exata para que ele chegue a todos os usuários.

Via: The Verge