EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Pesquisadores do Instituto Federal de Tecnologia da Suíça em Zurique (ETH Zurich), encontraram o manual do computador mais antigo ainda preservado, o Zuse Z4, construído pelo engenheiro civil alemão Konrad Zuse entre 1942 e 1945.

O projeto do Z4 começou durante o governo nazista. Em fevereiro de 1945 a máquina, ainda incompleta, foi transportada para Göttingen, para evitar que caísse mas mãos do exército Soviético, que rapidamente se aproximava de Berlim.

publicidade

Quando ela foi concluída, forças dos Aliados já se aproximavam de Göttingen. O governo alemão queria transportar a máquina para Mittelbau Dora, onde prisioneiros de campos de concentração construíam os foguetes V1 e V2 projetados por Werner Von Braun. Zuse discordou e conseguiu fugir com sua máquina, escondendo-a em um celeiro na cidade de Bad Hindelang até o fim da guerra.

Em 1950 o Z4 era o único computador digital em operação na Europa, e foi o segundo modelo no mundo a ser vendido comercialmente, atrás apenas do BINAC, desenvolvido nos EUA pela ECC e vendido para a Northrop Aircraft Company, antecessora da atual Northrop Grumman.

publicidade

O Z4, atualmente em exibição no Deutsches Museum, em Munique, ocupa uma sala inteira. Executava programas armazenados em fitas de papel perfurado e era capaz de fazer uma adição em 400 millissegundos, uma multiplicação em três segundo e cerca de 1.000 operações em ponto flutuante por hora.

Para comparação, um supercomputador atual como o japonês Fugaku, o mais poderoso da atualidade, pode fazer 415,5 quatrilhões de operações em ponto flutuante por segundo, ou 415,5 petaflops.

O manual do computador foi provavelmente escrito pelo próprio Konrad Zuse, que faleceu em 1995. O documento foi encontrado por Evelyn Boesch, filha do engenheiro René Boesch, que no início da década de 50 trabalhou no Instituto para Estatística e Construção de Aeronaves da ETH Zurich. Na época o Z4 era usado pela universidade para cálculo aerodinâmico, e foi parte do projeto do FFA P-16, o primeiro caça supersônico suíço.

A história da descoberta do manual é contada por Herbert Bruderer no blog da Association for Computing Machinery (ACM), associação baseada nos EUA que tem como lema o “avanço da computação como uma ciência e profissão”.

Junto com o manual foram encontrados registros de uso da máquina entre 1950 e 1955, detalhando as tarefas ou programas executados e o tempo necessário. No início da informática o acesso e uso de computadores era comumente tarifado de acordo com o tempo de máquina necessário para a execução de um programa.

Entre as tarefas listadas estão o cálculo da trajetória de foguetes, modelagem aerodinâmica de asas de aeronaves, cálculo de vibração em estruturas aerodinâmicas (com 800 horas de trabalho) e de forças durante o mergulho de uma aeronave (120 horas).

Uma das páginas do manual cita como o Z4 lidava com saltos condicionais, algo que até hoje era desconhecido. Saltos condicionais ocorrem quando o computador desvia a execução de um programa para uma subrotina de acordo com uma condição (se um valor for verdadeiro ou falso, por exemplo). Originalmente o Z4 não era capaz de executar esta operação, que foi adicionada como um “upgrade” alguns anos depois a pedido da ETH Zurich.

Fonte: ACM / Discovery: User Manual of the Oldest Surviving Computer in the World. Foto: Clemens Pfeiffer / Wikimedia Commons (CC-BY-2.5)