EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Depois de anos de dominação absoluta da Intel, o mercado de processadores para desktops está passando por transformações. Nesta quarta-feira (8), a AMD apresentou sua nova geração de chips, baseados na nova arquitetura Zen 3, com a linha Ryzen 5000, dando prosseguimento a uma fase positiva da empresa, que tem começado a colocar pressão na principal concorrente

Os chips desta quinta (8) sucedem os modelos Ryzen 3000, lançados no ano passado com arquitetura Zen 2. Eles mantêm o processo de 7 nanômetros, mas com um aumento de 19% nas instruções por ciclo, alcançando uma velocidade máxima de boost mais alta do que na geração anterior.

publicidade

São quatro modelos na nova linha. O mais acessível deles é o Ryzen 5 5600X, com 6 núcleos e 12 threads, TDP de 65 Watts, cache de 35 MB e clock de 3,7 GHz como frequência base e até 4,6 GHz de frequência em boost. O modelo chega ao mercado com preço sugerido de US$ 300. Já o modelo mais poderoso, o Ryzen 9 5950X, conta com 16 núcleos e 32 threads, TDP de 105 Watts, frequências máximas de 3,4 GHz ou 4,9 GHz em boost, 72 MB de cache e preço indicado de US$ 800.

Confira abaixo os detalhes de cada chip da nova linha:

publicidade

Modelo

Núcleos/ Threads

TDP (Watts)

Boost / Frequência base (GHz)

Cache (MB)

Preço

Ryzen 9 5950X

16 / 32

105 W

Até 4,9 / 3,4 GHz

72

US$ 800

Ryzen 9 5900X

12 / 24

105 W

Até 4,8 / 3,7 GHz

70

US$ 550

Ryzen 7 5800X

8 / 16

105 W

Até 4,7 / 3,8 GHz

36

US$ 450

Ryzen 5 5600X

6 / 12

65 W

Até 4,6 / 3,7 GHz

35

US$ 300

Segundo as palavras da companhia, os modelos mais parrudos da linha são capazes de superar em desempenho o chip mais poderoso da rival Intel, mais especificamente o Core i9-10900K. Veja a comparação do Ryzen 9 5900K com o processador da Intel:

Reprodução

Como é possível notar, apenas “Battlefield 5” viu vantagem para a Intel, mas a diferença foi mínima. No entanto, é sempre importante observar que, como os números são divulgados pela própria AMD, é bom não confiar cegamente nos resultados. O modelo da Intel oferece mais velocidade bruta, com um clock mais alto que chega a até 5,3 GHz, mas a AMD destaca outras vantagens, como menor consumo de energia e um número mais alto de núcleos e threads.

Agora resta esperar pela resposta da Intel, que não deve demorar muito. A companhia já confirmou que seus processadores Rocket Lake-S de 11ª geração, desenvolvidos para desktop, serão lançados já no primeiro semestre de 2021 com suporte a PCI Express 4.0.

A AMD também aproveitou o evento para começar a promover sua nova geração de GPUs, que poderão ser pareadas com os novos chips Ryzen. A linha Radeon RX 6000 deve ser apresentada no dia 28 de outubro para concorrer com a linha RTX 3000 da Nvidia, com promessas de jogos em 4K e 60 quadros por segundo com configurações gráficas no “Ultra”.