EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Apple adicionou uma nova ferramenta que deve auxiliar na melhoria da qualidade de fotos e vídeos nos modelos de iPhone 12. Trata-se do sensor LiDAR (Light Detection and Ranging), utilizado principalmente em carros autônomos.

Ele auxilia aparelhos a realizarem um processo de escaneamento de uma área tridimensional, como sua própria nomenclatura antecipa. O LiDAR mede distâncias de objetos utilizando-se dos raios de luz, e assim consegue rapidamente aferir o posicionamento de objetos e auxiliar computadores a tomarem decisões.

publicidade

A aplicação para a fotografia é uma inovação por parte da gigante de tecnologia da Califórnia, que busca novas formas de tornar a qualidade fotográfica dos iPhones ainda melhor. A empresa informou que a utilização do sensor LiDAR tem três funções principais: auxílio na fotografia, em criação de cenários de realidade aumentada e no mapeamento de áreas tridimensionais.

As funcionalidades da ferramenta são vastas, e podem ser benéficas para diversos tipos de aplicativos. Por exemplo, para o mercado de corretagem de imóveis, o mapeamento automático de uma área é um grande avanço no cotidiano de seu trabalho.

Funcionalidades diversas

Já o melhoramento dos cenários de realidade aumentada (AR) também pode ser importante para o desenvolvimento de novas aplicações e jogos. O sensor ajuda a tornar mais preciso o posicionamento de objetos em cenários, o que é essencial para uma experiência imersiva do usuário. O último iPad Pro, por exemplo, recebeu o sensor, mas focado exclusivamente no processamento de cenários AR.

publicidade

Na fotografia, o LiDAR consegue auxiliar os sensores da câmera a tornar o balanço de luz mais correto para determinadas regiões de uma foto, principalmente no caso de capturas no modo retrato. Os vídeos também serão auxiliados pela ferramenta, que além da luz, ajuda no melhoramento de foco.

A Apple afirma que os novos iPhones possuem um autofoco seis vezes mais veloz em condições de baixa luminosidade que a geração anterior do aparelho. Os smartphones tendem a ter dificuldade para lidar com cenas noturnas, no balanço de luz e na correta interpretação das cores pelo sensor fotográfico.

Fonte: The Next Web