EnglishPortugueseSpanish

Os novos iPhone 12 e iPhone 12 Pro terão vendas abertas a partir de sexta-feira (23) em alguns países e os primeiros reviews deles foram publicados na manhã desta terça-feira (20). Além de um design inspirado no iPhone 5 com laterais “achatadas”, eles trazem melhorias de câmera e o tão esperado suporte ao 5G.

As análises já publicadas são feitas com unidades antecipadas pela própria Apple aos veículos. Elas citam que o visual agradou bastante e que os dispositivos são menores do que a última geração. Mas, também, que nem tudo é perfeito nessa nova geração.

publicidade

5G

Para Joanna Stern, do Wall Street Journal, a chegada do 5G nos novos iPhones não é algo que possa mudar completamente o jogo. O principal problema, na análise dela, é que o 5G mmWave ainda não está disponível em grande parte dos lugares.

Reprodução

Toda a linha iPhone 12, que conta com quatro modelos, é compatível com 5G (Sub-6 GHz e mmWave). Imagem: Apple/Reprodução

As redes 5G são vistas como uma tecnologia inovadora. Elas reduzem a latência e aumentam a velocidade das redes. Basicamente, ela melhora o que já existe e permite expandir as aplicações. Mas Lauren Goode, da Wired, diz que “um dia, isso será útil […] mas não é especialmente útil agora”.

Isso porque, apesar de já contar com 5G comercial em algumas regiões, as redes também não estão difundidas em todos os lugares dos Estados Unidos. Tanto que na análise de Brian X. Chen para o The New York Times ele diz que iniciou o uso do iPhone 12 “abrindo um mapa para descobrir onde eu poderia testá-lo”. Nos lugares compatíveis, diz ele, “a experiência com o iPhone foi extremamente gratificante”. 

Design e tela

“Esse é o melhor design do iPhone em anos. Mesmo que ele já tenha sete anos, exatamente como no iPhone 5”, disse Joanna. Na nova geração, os celulares têm laterais mais planas e são mais leves. Dieter Bohn, do The Verge, diz que ele “parece mais elegante e confiante do que os iPhones dos últimos anos”.

No iPhone 12, as laterais do celular são de alumínio; no 12 Pro, elas são de aço inoxidável. O visual, no geral, lembra bastante o iPhone 5, porém mais atual. Em relação ao modelo antecessor, o novo ainda traz um recorte no topo da tela para os sensores de reconhecimento facial (Face ID).

Reprodução

Tamanho de tela do iPhone 12 e 12 Pro é o mesmo; diferença está no acabamento, quantidade de câmeras e cores dos celulares. Imagem: Apple/Reprodução

Já a tela dos novos modelos possui o mesmo tamanho de 6,1 polegadas (2532 x 1170 pixels) e tecnologia OLED. Para Dieter, “é uma melhoria perceptível principalmente por causa de seu contraste e HDR aprimorados, não pela quantidade de pixels”. A Apple, por outro lado, não trouxe maior taxa de atualização como outras fabricantes têm feito.

MagSafe e adeus carregador?

Adicionar os imãs, chamados de MagSafe pela Apple, Joanna disse que foi “uma ideia ótima… em teoria”. Isso porque, como demonstrado, acessórios como o porta-cartões que fica nas ‘costas’ do celular pode acabar saindo quando ele é guardado no bolso.

Por outro lado, o carregador wireless que utiliza a função não é dos mais rápidos, apesar de atingir 15 watts, e pode levar até uma hora para carregar 50% da bateria do iPhone 12. Para Dieter, porém, o plano pode ter mais a ver com os rumores da Apple tirar a entrada Lightning no futuro. Na atual geração, a Apple decidiu não incluir carregador e fones de ouvido na caixa dos celulares.

Câmeras

A principal diferença entre o iPhone 12 e o 12 Pro, é que o segundo é o único que traz uma câmera telefoto. Além disso, ele também traz o sensor LiDAR que permite, por exemplo, fazer fotos noturnas com o modo retrato. Outro truque muito bem comentado é o suporte para gravação de vídeos com Dolby Vision HDR em 4K.

Reprodução

iPhone 12 Pro traz conjunto de três câmeras na traseira; no iPhone 12, há só uma lente extra de ângulo aberto. Imagem: Apple/Reprodução

Segundo Nilay Patel, também do The Verge, as câmeras não são muito melhores do que a última geração. “O iPhone 12 Pro melhora ligeiramente em relação ao 11 Pro na maioria das situações e adiciona a capacidade de fazer fotos úteis em ambientes ainda mais difíceis”, escreveu.

Lauren diz que “a câmera é boa o suficiente para que você não precise necessariamente daquela luz artificial”, e que “os avanços são em grande parte devidos a melhorias no software”. Porém, ela também concorda que quando comparada com a câmera da geração passada, “não é um grande avanço”.

Hardware e bateria

As primeiras análises sobre os celulares, que trazem o novo chip A14 da Apple, citam que ele é muito rápido. Mas, como diz Chris Velazco do Engadget, toda essa velocidade “depende de onde você está vindo”. Para upgrades depois de anos, “o aumento no desempenho será mais palpável”. 

Dieter cita que a velocidade do dispositivo será importante no futuro, pois ele “provavelmente ainda será rápido em três ou até cinco anos”. Vale lembrar que a versão de base do iPhone 12 vem com 64 GB de armazenamento, enquanto o 12 Pro tem 128 GB. Já sobre a bateria, os primeiros reviews citam que ela está no mesmo nível do iPhone 11.

E vale a pena?

Em resumo, as primeiras análises do iPhone 12 e iPhone 12 Pro citam que ambos são ótimos celulares e trazem ótimos recursos novos. Porém, o 5G sozinho não é um motivo para comprá-lo exclusivamente para aproveitar a tecnologia. Também é citado que a geração do iPhone 11 segue como uma ótima opção.

Vale lembrar que os novos iPhones ainda não têm data de lançamento divulgada para o Brasil, tampouco seus preços. Por outro lado, os dispositivos já começaram a ser homologados pela Anatel e podem ser disponibilizados em breve.

Fonte: The Verge (1), Wired, NY Times, Engadget