EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, foi diagnosticado com Covid-19 na quarta-feira (21). De acordo com o G1, para se isolar da família, Pazuello decidiu ir para no Hotel de Trânsito dos Oficiais, no Setor Militar Urbano, localizado em Brasília. Segundo o próprio Ministério, o estado do titular da pasta é considerado “estável”.

O general do Exército está sendo acompanhado de perto por uma equipe médica. Interlocutores do ministro lembraram que ele é hipertenso e encontra-se acima do peso, por isso requer cuidados para que a doença não se torne grave.

Na quarta-feira, Pazuello apresentou quadro febril e optou por cumprir parte de sua agenda do dia de casa, incluindo uma reunião com governadores. Na mesma data, saíram os resultados dos exames comprovatórios para Covid-19.

Já na segunda-feira (19) o ministro não participou de cerimônia no Palácio do Planalto onde foram apresentados estudo clínicos de nitazoxanida em pacientes na fase precoce da infecção causada pelo vírus Sars-Cov-2.

O diagnóstico coloca o ministro na lista de outros integrantes do governo brasileiro que já foram infectados com a doença: Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Milton Ribeiro (Educação), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União), Braga Netto (Casa Civil), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral), Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) e Fabio Faria (Comunicações).

O próprio presidente Jair Bolsonaro e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, também já foram diagnosticados com a Covid-19.

Aquisição da CoronaVac

A notícia da infecção de Pazuello vem em um momento de desentendimentos entre ele e o presidente Bolsonaro. Isto porque o chefe do Executivo desautorizou o anúncio do Ministério da Saúde sobre a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus que está sendo desenvolvia pela chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butatan.

De qualquer forma, fontes próximas ao presidente afirmam que ele sabia sobre o trabalho que estava sendo desenvolvido por Pazuello e o Ministério da Saúde em relação à dose.

Fonte: Uol