EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Apple vai expandir sua rede de “lojas expressas”, espaços onde os consumidores podem retirar produtos comprados online ou pedir suporte de um técnico no Genius Bar, para atender à demanda pelo iPhone 12 e seus outros produtos neste fim de ano.

As lojas são como quiosques fechados, com uma janela protegida por acrílico onde o cliente pode interagir como um funcionário, como um caixa de banco. Para que possam ser atendidos, os consumidores devem antes agendar uma retirada de produto ou horário com um técnico, e mostrar um QR Code incluso em um e-mail de confirmação na entrada.

publicidade

A Apple já tem 20 lojas neste modelo em operação nos EUA e Europa, e pretende chegar a um total de 50 lojas em ambas as regiões, até o final do ano. “É uma forma mais rápida de servir a nossos consumidores”, diz Deirdre O’Brien, vice-presidente sênior de varejo na Apple em declaração à Reuters. “Ela nos permite manter o distanciamento social e todos os protocolos de saúde apropriados em nossas lojas”.

A iniciativa é especialmente importante para manter o atendimento aos consumidores em países que estão passando por uma “segunda onda” da Covid-19, e restringindo a circulação de pessoas e funcionamento do comércio em uma tentativa de conter o avanço da pandemia.

Reprodução

iPhone 12 e iPhone 12 mini. Foto: Apple

Em 13 de outubro a Apple anunciou sua nova linha de smartphones, os iPhone 12, composta por quatro modelos. O iPhone 12 Mini traz uma tela de 5,4 polegadas, enquanto o iPhone 12 e 12 Pro tem um painel consideravelmente maior, de 6,1 polegadas. Por fim, o iPhone 12 Pro Max tem a maior tela de todas, com 6,7 polegadas.

Os dispositivos utilizam painéis OLED protegidos por uma tecnologia chamada Ceramic Shield, resultado de parceria com a Corning, fabricante do Gorilla Glass. Segundo a Apple, o novo vidro deve oferecer 4 vezes mais resistência a quedas acidentais do que o iPhone 11. Os celulares são os primeiros da Apple a sair de fábrica com suporte às redes 5G, recurso que deve aumentar a demanda pelos aparelhos entre os usuários.

Fonte: Engadget