EnglishPortugueseSpanish

A Huawei anunciou, nesta sexta-feira (23), seus resultados financeiros referentes aos três primeiros trimestres de 2020. Durante o período, a gigante chinesa das telecomunicações e dos smartphones relatou receita de 671,3 bilhões de yuans (cerca de US$ 100,7 bilhões), um aumento de 9,9% ano a ano, com uma margem de lucro de 8%.

A empresa disse, em um comunicado, que esses resultados “basicamente atenderam às expectativas”, mas representam uma grande queda em relação ao seu desempenho durante o mesmo período do ano passado, quando relatou um crescimento de 24,4% com uma margem de lucro de 8,7%.

publicidade

Desafios enfrentados

Embora a Huawei não tenha especificado restrições ao comércio em seu breve anúncio, a empresa foi atingida por uma série de medidas do governo dos EUA. O impacto total dessas políticas ainda não foi percebido, pois o governo dos EUA concedeu à companhia várias moderações, incluindo uma sobre a proibição do comércio comercial com a Huawei e a ZTE até maio de 2021.

Seguindo em frente, a empresa chinesa pretende alavancar seus pontos fortes em tecnologias de TIC, como Inteligência Artificial, cloud computing, 5G, desenvolver aplicativos e viabilizar o uso da redes 5G com seus parceiros. 

Reprodução / Domínio Público

Huawei enfrenta restrições ao comércio nos EUA e Reino Unido.  Imagem: Reprodução / Domínio Público

A empresa escreveu, ainda, que “enquanto o mundo luta contra a Covid-19, a cadeia de fornecimento global da Huawei está sendo pressionada, e sua produção, e operações enfrentam desafios significativos. A empresa continua a fazer o seu melhor para encontrar soluções, sobreviver e seguir em frente e cumprir suas obrigações com clientes e fornecedores.”

Outras restrições dos EUA incluem uma que proibiria a Huawei de usar software e hardware dos EUA em certos processos de semicondutores, forçando-a a encontrar outras fontes de chips.

Além dos EUA, a Huawei também está enfrentando o escrutínio de outros países, incluindo o Reino Unido, que planeja implementar uma nova política que impedirá as telecomunicações de comprar novos equipamentos 5G da Huawei e ZTE. O país também exigirá que sejam removidas quaisquer peças dessas empresas que já foram instaladas em redes 5G do Reino Unido até 2027. 

Vendas de smartphones

A substituição de equipamentos da Huawei também apresenta desafios caros para as telecomunicações, porque a empresa é um dos maiores fornecedores do mundo. No mês passado, a Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos informou que custaria US$ 1,837 bilhão para substituir os equipamentos de rede Huawei e ZTE, com as redes rurais de telecomunicações enfrentando maior pressão financeira.

Entretanto, 2020 teve alguns pontos positivos para a Huawei. Em julho, um relatório da Canalys descobriu que a companhia ultrapassou a Samsung como líder em vendas globais de smartphones durante o segundo trimestre de 2020. Esse foi um marco importante, porque foi a primeira vez em nove anos que a Apple e a Samsung não ocuparam o primeiro lugar em mapas da Canalys.

Isso ocorreu, em parte, porque as remessas de smartphones foram prejudicadas durante a pandemia de Covid-19. No entanto, a Huawei se beneficiou das vendas na China, seu mercado doméstico.

Fontes: Techcrunch