Itens que pertenceram a Alan Turing, um dos decifradores de códigos mais importantes associados à Segunda Guerra Mundial, serão devolvidos ao Reino Unido após terem sido roubados há décadas.

Os 17 itens sumiram em 1984 na Sherborne School, em Dorset, local onde Turing estudou – e para onde sua mãe emprestou os pertences do filho para uma exposição. Dentre as coisas que foram furtadas estavam um certificado de graduação da Universidade de Princeton, cartas, fotos e a medalha da Ordem do Império Britânico.

publicidade

De acordo com a BBC, os pertences foram encontrados na casa de Julia Turing, que, apesar do nome, não tem nenhuma ligação familiar com o cientista da computação. Foi descoberto que a mulher alterou seu sobrenome em 1988.

O alerta sobre os itens roubados foi dado após Julia se oferecer para emprestá-los para a Universidade do Colorado em 2018 alegando ser um parente direto do decifrador de códigos. Foi então descoberto que a mulher removeu os itens sem permissão dos arquivos da escola onde Turin estudou. 

Depois que sua casa foi invadida, o governo dos Estados Unidos apreendeu os itens e um processo civil foi iniciado. Agora, dois anos depois, os bens roubados serão devolvidos ao Reino Unido, onde ficarão expostos novamente em Sherborne.

Reprodução

Máquina Enigma, usada pelo exército russo para conversar de maneira encriptada com seus aliados. Foto: Willy Barton/Shutterstock

Turing é bastante famoso por ser um dos criadores de um sistema capaz de decifrar mensagens criptografadas criadas pela Enigma, máquina usada por militares alemães para enviar informações secretas para seus aliados.

Embora seus esforços não tenham sido totalmente reconhecidos na época, após sua morte, em 1954, o decifrador se tornou uma das figuras mais icônicas do Reino Unido. Recentemente foi definido que a nota de 50 libras na Inglaterra teria seu rosto estampado como forma de homenagem.

Via: ZDNet