Pentágono confirma contrato com a Microsoft para computação em nuvem

A Amazon, rival pelo acordo de US$ 10 bilhões, diz que o Trump está interferindo no processo, mas Departamento de Defesa mantém decisão favorável à Microsoft

Da Redação, editado por Daniel Junqueira 09/09/2020 15h09
Pentágono
A A A

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos manteve sua decisão nesta sexta-feira (4) de assinar um contrato no valor de US$ 10 bilhões com a Microsoft para fornecimento de armazenamento de dados em nuvem para o projeto JEDI (Joint Enterprise Defense Infrastructure). A decisão, porém, não deve acabar com a acirrada disputa judicial envolvendo o caso.


Há mais de seis meses um juiz federal suspendeu os trabalhos sobre o contrato em resposta a uma ação movida pela Amazon que alega interferência por parte do presidente Donald Trump e da própria Justiça dos EUA. A Amazon abriu o processo em novembro alegando Trump de influenciar a decisão que negou à empresa o acordo. A empresa era vista como favorita para fechar a parceria.

A disputa pelo contrato, porém, deve permanecer. A Amazon argumenta que possui tecnologia superior e que a Microsoft não atendeu a algumas especificações estabelecidas pelo Departamento de Defesa.

Reprodução Microsoft consegue contrato de US$ 10 bilhões para armazenar os dados do Departamento de Defesa dos EUA. Imagem: Kanawat

A gigante do varejo on-line afirmou também que Trump interfere no processo devido à sua rivalidade com Jeff Bezos, que também é dono do jornal The Washington Post. O jornal fez uma cobertura considerada agressiva pelo governo Trump, que chegou a chamá-lo de ‘Amazon Washington Post’.

Entretanto, apesar das acusações, a Amazon não conseguiu comprovar suas alegações.

O Pentágono chegou a dizer que reconsideraria a possibilidade de acordo com a Microsoft após as objeções da Amazon, mas após extensa reavaliação considerou que a proposta da apresentada pela desenvolvedora do Windows possuía o melhor valor.

Em resposta, a Amazon afirmou em postagem em seu blog que o Departamento de Defesa poderia ter corrigido seus erros de avaliação e procurar garantir um jogo justo para encerrar o litígio judicial.

O processo de escolha

A Microsoft conseguiu o contrato JEDI em outubro de 2019. Durante o processo de licitação, aguardava-se que a Amazon seria escolhida. Após longas rodadas, Amazon e Microsoft surgiram como as únicas empresas restantes no acordo. O Google saiu no final de 2019, enquanto Oracle e IBM foram eliminadas ainda no início deste ano. A Oracle chegou a protestar, mas teve suas objeções rejeitadas pela Justiça federal dos EUA.

O JEDI é um projeto que visa atualizar os sistemas do Departamento de Defesa e armazenar esses dados. A nuvem JEDI fornecerá infraestrutura e a plataforma de serviço para o Departamento e para quaisquer parceiros de missão do governo dos Estados Unidos.

Fonte: ZDnet

Microsoft Amazon estados unidos pentagono donald trump
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você