EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Na última quarta-feira (25), o Wall Street Journal (WSJ) citou que a Salesforce, empresa norte-americana que desenvolve aplicativos disponibilizados na nuvem, está interessada em comprar a Slack, plataforma corporativa para troca de mensagens.

Caso a transação seja concluída, a empresa de computação em nuvem poderá conquistar um novo mercado, já que, até o momento, a companhia é conhecida por ser bastante presente em grandes corporações – enquanto o Slack está presente em diversas startups de rápido crescimento. De acordo com fontes ligadas à negociação, o acordo deve ser fechado nos próximos dias – possivelmente quando a Salesforce divulgar seus resultados financeiros do terceiro trimestre.

publicidade

As possibilidades de negócios incluem a venda cruzada dos produtos das duas empresas nas bases de clientes uma da outra, possivelmente promovendo o crescimento em ambas as partes.

Reprodução

Apesar do estágio inicial de negociação, o acordo pode representar uma melhoria nos negócios de ambas as empresas. Foto: Piotr Swat/Shutterstock

Esse movimento já pôde ser visto apenas na indicação do negócio. As ações da Slack subiram 32% apenas com a revelação do possível acordo. No entanto, o inverso ocorreu com a Salesforce, que viu suas ações caírem 3,5%.

publicidade

Como o Slack permite que as empresas incorporem fluxos de trabalho em sua utilização, a adição pode ser bem interessante para a família de produtos Salesforce, que abrange vendas, serviços e marketing. Isso pode garantir que fluxos de serviço sejam integrados.

Ainda não está claro o possível valor do acordo, mas o WSJ aponta que a empresa pode ser comprada por US$ 17 bilhões (R$ 90 bilhões). Caso esse seja de fato o preço de compra, será o maior negócio já fechado pela Salesforce.

Denuncia contra a Microsoft

A Slack Technologies, que é responsável pelo aplicativo Slack, mensageiro voltado ao mundo corporativo com diversas funções, registrou uma denúncia contra a Microsoft por práticas anticompetitivas. A denúncia foi feita por causa do aplicativo Microsoft Teams, que é muito similar ao Slack, e que foi adicionado ao pacote Office, disponibilizado pela empresa no Windows.

Segundo a Slack Technologies, a adição do Microsoft Teams ao Office causa uma concorrência desleal, por já vir incluído em um ecossistema já consolidado no mercado. Além disso, por ser impossível sua remoção do sistema, o usuário acabaria optando por usá-lo. A denúncia foi registrada na Comissão Europeia, que tem o objetivo de gerir a concorrência de mercado.

A denúncia diz que a ação da Microsoft “força a instalação dele (Microsoft Teams) a milhões, bloqueia a sua remoção e esconde o verdadeiro custo aos consumidores empresariais”.

Para Jonathan Prince, vice-presidente de comunicações e políticas da Slack, a Microsoft não pode impor a ferramenta deles a ninguém. “Estamos confiantes de que ganhamos com o mérito de nosso produto, mas não podemos ignorar o comportamento ilegal que priva os clientes do acesso às ferramentas e soluções que eles desejam”, disse.

Via: TechCrunch