EnglishPortugueseSpanish

Na última segunda-feira (14), a Agência de Exploração Aeroespacial Japonesa (Jaxa), confirmou que a missão Hayabusa 2, que foi lançada ao espaço em 2014 com a missão de trazer amostras do asteroide Ryugu à Terra, cumpriu seu objetivo.


Após recolher materiais do asteroide duas vezes, a cápsula com o conteúdo voltou para nosso planeta no começo de dezembro e rapidamente foi enviado para um laboratório móvel para análise.

publicidade

No entanto, até então, os engenheiros da agência não tinham certeza se o veículo havia de fato conseguido alguma amostra. Felizmente, ao abrir o recipiente, foi confirmado “uma amostra granular de areia preta que se acredita ser derivada de Ryugu” na parte externa da cápsula.


Além disso, havia uma resquícios de gás dentro do coletor que “diferia da composição atmosférica da Terra”, confirmando a visita ao asteroide. Em uma imagem compartilhada no Twitter, é possível ver um pouco da poeira trazida pela cápsula, bem como o esquema de composição do recipiente.

Análise das amostras

Agora, o próximo passo é abrir todas as câmaras para pesar e confirmar a origem dos materiais. Em seguida, a Jaxa começará a avaliar as amostras em microscópios para entender mais sobre sua composição. Os primeiros detalhes disso devem surgir ainda no início de 2021. No fim do ano, o material será compartilhado com a Nasa e outras agências.

publicidade


Os especialistas acreditam que, ao contrário dos pedaços de asteroide que caem na Terra, as amostras trazidas pela missão Hayabusa 2 estão livres de contaminação terrestre, o que vai garantir pistas sobre como o nosso planeta – e até a vida – se formou inicialmente.

Via: Engadget