A cápsula Dragon CRS-21, da SpaceX, deixará a Estação Espacial Internacional (ISS) na manhã desta segunda-feira. Acoplada à ISS desde 6 de dezembro, ela irá se separar às 10h25 (horário de Brasília), com transmissão ao vivo pela Nasa TV.

Ao contrário das Cygnus, da concorrente Northrop Grumman, as Dragon retornam intactas, pousando no oceano com a ajuda de para-quedas. Isso as torna ideais para trazer de volta ao planeta amostras biológicas e resultado de experimentos conduzidos a bordo da ISS.

publicidade

Missão pioneira para a SpaceX e para a Nasa

A CRS-21 foi uma missão pioneira, tanto para a SpaceX quanto para a Nasa. Foi o primeiro voo de uma Dragon atualizada, com 20% mais espaço para carga a bordo e um sistema que permite que ela se acople automaticamente à ISS. Antes disso a espaçonave manobrava até um ponto próximo e era capturada por astronautas na estação usando o braço robótico Canadarm2.

Também foi a primeira vez que a ISS abrigou duas Dragon simultaneamente: a Crew Dragon usada para transportar os astronautas da missão Crew-1, lançada pela SpaceX em meados de novembro, também está acoplada à estação e permanecerá lá por ao menos mais três meses.

O diagrama acima mostra as espaçonaves acopladas à ISS. Imagem: Nasa

Como decolou em dezembro, a CRS-21 também foi usada para levar a ceia de Natal dos astronautas. O menu incluiu batatas gratinadas, peru assado, macarrão com queijo, biscoitos e capuccino de baunilha.

Outra novidade nesta missão é o local de pouso: anteriormente as Dragon pousavam no Oceano Pacífico, mas a CRS-21 pousará no Atlântico Norte. Isso permitirá que as amostras e experimentos a bordo sejam entregues aos cientistas em tempo recorde, apenas quatro horas após o pouso.

A SpaceX tem contrato com a Nasa para mais seis missões de transporte de carga à ISS, com a próxima (CRS-22) planejada para maio. A empresa também tem contrato para cinco missões de transporte de astronautas como parte do Commercial Crew Program.

A próxima decolagem tripulada está prevista para março, levando os astronautas norte-americanos Shane Kimbrough e Megan McArthur, além do japonês Akihiko Hoshide e o francês Thomas Pesquet na Crew-2. A cápsula usada será a Endeavour, que levou os astronautas Bon Behnken e Doug Hurley na histórica missão Demo-2 em maio deste ano.