EnglishPortugueseSpanish

O TikTok é extremamente popular entre os jovens. De acordo com a Statista, 32,5% dos usuários norte-americanos do app tem entre 10 e 19 anos. Por isso, não é raro que a rede social se veja às voltas com processos por violação de privacidade de menores idade ou tenha que reforçar suas ferramentas de controle parental.

Para minimizar esse tipo de problema no futuro, a empresa promoveu algumas alterações que visam “promover uma experiência segura para nossos usuários mais jovens”. Na principal delas, a configuração de privacidade padrão de todas as contas registradas por usuários com idade entre 13 e 15 anos para “privada”.

publicidade

Dessa maneira, apenas quem o usuário aprovar como seguidor pode assistir aos seus vídeos. “Queremos que nossos criadores de conteúdo mais jovens sejam capazes de fazer escolhas informadas sobre ‘o que’ e ‘com quem’ desejam compartilhar, o que inclui decidir se desejam abrir suas contas para visualizações públicas”, explica a líder global de Política de Segurança de Menores do TikTok, Tracy Elizabeth, em um comunicado oficial.

Contas de usuários com menos de 15 anos no TikTok serão automaticamente configuradas como “privadas”. Imagem: engagestock/Shutterstock

A plataforma ainda removeu a opção de comentários abertos para todos em vídeos criados por menores de 16 anos. Só “amigos” ou “ninguém” podem deixar mensagens nas publicações. Recursos como “Dueto” e “Costurar”, que promovem interação entre as contas, só podem ser usados por maiores de 16 anos – e usuários de 16 a 17 anos têm como configuração padrão para a ferramenta pré-definida somente para “amigos”.

Ainda, só vídeos feitos por usuários com 16 anos ou mais poderão ser baixados (e menores de 18 anos tem como configuração padrão para o recurso como “desligado”). A opção “Sugira sua conta para outras pessoas” está desativada para usuários com idade entre 13 e 15 anos.

Mais controle para os pais

Em novembro passado, o TikTok implementou uma série de recursos voltados para o controle parental que incluem a capacidade de bloquear termos de pesquisa, usuários e hashtags, bem como controlar quem pode comentar nos vídeos publicados.

publicidade

Talvez a funcionalidade mais importante esteja ligada à descoberta de conteúdo. Os responsáveis podem limitar os vídeos vistos, restringindo o acesso às produções feitas por amigos dos usuários. Com isso, os jovens não verão publicações de desconhecidos. 

Parte dessas mudanças foi resultado de uma multa de US$ 5,7 milhões aplicada à plataforma em 2019. Na época, a rede social de vídeos curtos foi acusada de violar a regra de proteção à privacidade online infantil ao coletar dados e a localização de menores de 13 anos.