Os últimos dias deixaram claro: a pandemia de Covid-19 voltou a atacar o Brasil com toda a força, com o exemplo mais grave visto em Manaus. Agora, o governo de SP decidiu apertar as restrições do Plano São Paulo em mais regiões visando minimizar o contágio, o risco de óbitos e o colapso do sistema de saúde conforme anunciado em coletiva nesta sexta-feira (15).

Restrições deixam 11 regiões nas fases mais duras do Plano São Paulo. Foto: Reprodução

Com o reajuste, sete regiões regrediram da fase amarela para a laranja do “Plano São Paulo”, que impõe diferentes níveis de restrições dependendo dos indicadores regionais. São elas Araçatuba, Bauru, Franca, Piracicaba, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Taubaté.

publicidade

A fase laranja prevê que basicamente todos os estabelecimentos comerciais podem funcionar, mas com restrições que visam limitar o contágio. Bares não podem ter atendimento presencial, mas restaurantes podem, com ocupação reduzida e horários limitados.

Além desses oito territórios, o governo de São Paulo anunciou a regressão da região de Marília para a fase vermelha, a mais restritiva. Neste ponto, apenas o comércio considerado essencial pode funcionar.

Com isso, apenas a região da Grande São Paulo, de Campinas, Araraquara, São João da Boa Vista, Barretos ainda permanecem na fase amarela do plano.

Os indicadores negativos também forçaram o governo do estado a anunciar restrições mais cedo do que previsto. Inicialmente, a revisão do Plano São Paulo estava prevista apenas para 5 de fevereiro, mas a preocupação com o agravamento da pandemia fez com que os anúncios fossem realizados agora, com validade para a próxima segunda-feira (18).