Por volta de 1950, um astrônomo amador chamado Leland S. Copeland descobriu uma galáxia distante na constelação de Virgem. Ao apontar as lentes de seu telescópio, ele viu uma espiral misteriosa envolta em poeira. Na época, sua descoberta foi batizada de ‘Galáxia Perdida’. 

Agora, usando o telescópio espacial Hubble, um grupo de astrônomos encontrou a galáxia e conseguiu uma imagem detalhada do local. Batizada de NGC 4535, estima-se que esteja localizada a cerca de 50 milhões de anos-luz da Terra – além de ser uma das maiores dentre as cerca de duas mil galáxias do aglomerado de Virgem.  

publicidade

A foto, que foi divulgada em 11 de janeiro pela Nasa, faz parte de uma pesquisa chamada Physics at High Angular resolution in Nearby GalaxieS que tem como objetivo estudar 38 galáxias espirais.  

A partir da imagem, é possível ver um mar vibrante de estrelas bastante semelhantes à Via Láctea. Mas as características parecidas não param por aí. Assim como a “nossa casa”, a NGC 4535 é uma galáxia espiral barrada: um redemoinho de estrelas que ficam em volta de um ponto central.  

Ainda segundo a Nasa, as cores dessas estrelas podem revelar um pouco sobre a história da galáxia. O brilho amarelo da protuberância central, por exemplo, aponta para uma estrela bastante antiga e fria; enquanto isso, as presenças azuis brilhantes agrupadas nos braços das espirrais indicam estrelas mais jovens e mais quentes.  

Agora, por conta da descoberta, os astrônomos têm mais material para estudar a estrutura das galáxias espirais, já que os braços longos e elegantes da NGC 4535 a tornam uma candidata perfeita para isso. 

Galáxia ‘Star Wars’

No ano passado, astrônomos da Nasa anunciaram a descoberta de uma galáxia que, quando vista de perto, lembra a nave espacial fictícia Tie Fighter, do universo de ‘Star Wars‘.

Batizada como TXS 0128, a galáxia deve sua luminosidade à emissão de raios gama, um tipo de radiação eletromagnética de alta frequência e muito energética. Os cientistas vinham estudando as suas características desde 2015, quando a identificaram pela primeira vez utilizando o telescópio espacial de radiação gama Fermi, da Nasa.

Galáxia TXS 0128 observada em diferentes frequências. Imagem: Nasa

A TXS 0128 fica localizada na constelação de Cassiopeia, a cerca de 500 milhões de anos-luz da Terra. Trata-se de uma galáxia ativa – isto significa que seu núcleo é um buraco negro supermassivo que, ao acumular a matéria das estrelas ao seu redor, fica cada vez mais denso, resultando na liberação de enormes quantidades de energia.

Na galáxia em questão, esse buraco negro tem até 1 bilhão de vezes a massa do Sol, e a luz emitida é proveniente da radiação gama originada em seu centro, onde gás e poeira estelar se acumulam e se aquecem devido às forças gravitacionais e de fricção.

Algo interessante sobre a galáxia “Tie Fighter” é que seu formato muda de acordo com a frequência de rádio utilizada para mapeá-la. Quando observada a partir de 2,3 GHz, ela se assemelha a um círculo sem forma alguma, e a aparência de “nave espacial” só é verificada a 6,6 GHz.

Via: Live Science