Uma “minilua” que orbita nosso planeta desde novembro passado irá nos deixar para sempre a partir desta terça-feira (2), continuando sua própria jornada solitária ao redor do Sol.

Inicialmente cientistas acreditavam que o objeto, a minilua, batizado de 2020 SO, fosse um asteroide. Mas análises posteriores de seu tamanho, formato, composição e órbita revelaram que ele é um objeto artificial. Mais especificamente, ele é o propulsor do foguete Atlas-Centaur usado na missão Surveyor 2, lançada pela Nasa rumo à Lua em 1966.

publicidade

Ela seria a segunda missão não tripulada da Nasa a pousar na superfície lunar. Mas uma falha na correção de curso no meio do caminho fez com que o contato com a espaçonave fosse perdido dois dias após o lançamento, em 22 de setembro de 1966.

Observações iniciais estimavam que a minilua tinha um tamanho compatível com o Centaur, 10 metros de altura por 3 metros de diâmetro. A suposição foi comprovada quando uma equipe liderada por Vishnu Reddy, da Universidade do Arizona, usou um telescópio infravermelho no Havaí para observar o objeto e comparar suas características com outro Centaur, lançado em 1971, cuja posição é conhecida e que também está em órbita da Terra.

O primeiro estágio de um foguete Centaur 7 foi identificado como sendo o objeto misterioso 2020 SO
Foguete Atlas-Centaur 7, usando na missão Surveyor 2, na plataforma de lançamento em Cabo Canaveral, na Flórida, em 20 de Setembro de 1966

A maior aproximação de 2020 SO de nosso planeta foi em 1º de dezembro, quando chegou a 50.476 quilômetros. Nesta terça-feira (2) ele chegará a 220 mil km, cerca de 58% da distância entre a Terra e a Lua.

Depois disso, ele começará a se afastar de nós e deixará nossa vizinhança completamente em março. A partir daí, será apenas mais um de muitos objetos em órbita do Sol. O site Virtual Telescope Project vai transmitir ao vivo a passagem de 2020 SO a partir das 19h (horário de Brasília) desta segunda-feira.

Fonte: Space.com