Com o crescimento das newsletters como plataforma de publicação, especialmente entre os jornalistas independentes que não querem atrelar sua audiência a um grande veículo, várias empresas estão de olho em uma fatia deste promissor mercado. Uma delas é o Twitter, que adquiriu no mês passado uma plataforma de publicação chamada Revue.

Nesta terça-feira o Twitter colocou no ar, ainda que brevemente, um chamado convocando os usuários a criar suas próprias newsletters para alcançar um público maior.

publicidade

O pop-up anunciava recursos como a capacidade de criar e gerenciar newsletters, embutir tweets, gerenciar listas de e-mails, analisar o engajamento e receber por assinaturas pagas. Neste último caso, o Twitter ficará com 5% do valor da assinatura, e o autor da newsletter com os 95% restantes.

Pop-up convidando os usuários a testar a ferramenta de newsletters da Revue. Imagem: TechCrunch / Reprodução

Entretanto, parece que tudo não passou de um teste. O Twitter rapidamente reverteu a ferramenta a um beta fechado, ou seja, não está aceitando mais inscrições no momento. Quem conseguiu se inscrever poderá usar o serviço, que é basicamente o que era oferecido pelo Revue antes da aquisição.

Segundo o Twitter, as inscrições foram suspensas para que a infraestrutura por trás do serviço possa ser melhorada para melhor atender às demandas dos consumidores e para tornar o Revue uma ferramenta ainda mais poderosa para os editores.

Para o TechCrunch, a aquisição da Revue é uma estratégia para valorizar os tweets, que serviriam como o “topo do funil” para que autores possam criar uma comunidade de seguidores que poderão ser convertidos em assinantes de conteúdo mais extenso, entregue na forma de uma newsletter.

De qualquer forma, o Twitter claramente acredita que a ferramenta de newsletters ainda não está pronta para o grande público. Ainda não há expectativa de quando ela será relançada. Mas talvez não tenhamos de esperar muito: recentemente veio à tona que o Facebook também trabalha em uma ferramenta similar.

Fonte: TechCrunch