EnglishPortugueseSpanish

A Red Bull passará a fabricar motores de Fórmula 1 a partir de 2022 com tecnologia desenvolvida pela Honda. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (15) e vem dias após a Federação Internacional de Automobilismo (FIA na sigla em inglês) anunciar que o regulamento técnico passará a prever um congelamento no desenvolvimento de motores válido até 2025.

As unidades de potência serão produzidas a partir do projeto da Honda, que é a fornecedora de motores da equipe austríaca desde de 2019, mas deixará a Fórmula 1 no final de 2021. As peças sairão da fábrica da Red Bull Racing em Milton Keynes, na Inglaterra, a partir de uma nova empresa, a Red Bull Powertrains Limited.

publicidade

Além da própria Red Bull, sua equipe satélite, a AlphaTauri, também usará os motores desenvolvidos pela Red Bull. Com isso, a empresa austríaca que se notabilizou como fabricante de bebidas energéticas, passa a integrar o seleto grupo composto por RenaultFerrari e Mercedes como as únicas quatro montadoras da principal categoria do automobilismo mundial.

sede da redbull
Fábrica da Red Bull em Milton Keynes terá unidade para fabricação de motores chamada Red Bull Powertrains Limited

Red Bull tomou a decisão por teimosia

A Honda confirmou ainda em 2020 que a temporada de 2021 seria sua última como fornecedora de motores na Fórmula 1. Desde então, a Red Bull vem manifestando o desejo de fabricar seus próprios motores, uma vez que não desejava trabalhar com o fraco motor Ferrari, deixou a Renault recentemente e é a principal concorrente da Mercedes pelo título de construtores da categoria.

Para isso, a equipe vinha pleiteando junto à FIA o congelamento das unidades de potência já para a temporada de 2022, com a regra sendo válida até 2025, quando entrará em vigor um novo regulamento técnico, que dará fim à chamada “Era Híbrida”, que já vem desde 2014 com domínio total da Mercedes.

Fonte: Grande Prêmio 

publicidade

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!