Ciência e Espaço

China e Rússia firmam acordo para estação internacional de pesquisa na Lua

18/02/21 05h49, atualizada em 10/03/21 02h52
Xi Jinping e Vladimir Putin

O presidente da China, Xi Jinping, e o presidente da Rússia, Vladimir Putin. Crédito: Plavevski / Shutterstock.com

Os governos de China e Rússia firmaram nesta quarta-feira (17) um acordo de cooperação para a construção de uma base de pesquisa na Lua.

A parceria foi anunciada por meio de um memorando assinado pelas duas nações, que sugere que Moscou assinará um contrato para ajudar os chineses com seus planos para a Estação de Pesquisa Lunar Internacional (ILRS). 

“A Roscosmos concluiu os procedimentos domésticos para harmonizar o Memorando de Entendimento entre o Governo da Federação Russa e o Governo da República Popular da China sobre a cooperação para criar a Estação de Pesquisa Lunar Internacional”, informou a Roscosmos, que é a agência espacial da Rússia, ao Space News. 

A agência ressaltou, porém, que ainda não há uma data para assinatura oficial do acordo, mas informou que a provável data deverá coincidir com algum dos eventos espaciais internacionais. O favorito é a Conferência de Exploração Espacial Global, que está marcada para junho na cidade de São Petesburgo.

O acordo entre as duas potências é um marco importante, mas não surpreendente, na parceria entre Rússia e China para a exploração espacial. Quando oficializado, o acordo deve ter um grande impacto no cenário geopolítico de pesquisas no espaço.

Projeto da Base de Pesquisa Lunar Internacional da China em um cenário após 2030. Crédito: CNSA/Divulgação

Planos ambiciosos na Lua

A China tem planos bem ambiciosos para sua ILRS, os asiáticos desejam estabelecer uma presença robótica de longo prazo na Lua até o início de 2030, além de uma presença sustentada de seres humanos até o final do mesmo ano. 

O memorando marca também um distanciamento entre a Roscosmos e as agências presentes na Estação Espacial Internacional (ISS). De acordo com os russos, a ISS está se tornando inutilizável nos últimos anos de operação, o que motivou a agência russa a levar o seu know-how para o projeto chinês. 

Isolamento da NASA

A Roscosmos e a Nasa vêm tendo um relacionamento tenso nos últimos anos, o que pode ter sido uma das motivações para a migração dos russos para a ILSR, além de um indicativo de que a agência espacial dos Estados Unidos terá uma diminuição em seu papel de líder mundial em programas espaciais. 

E este isolamento pode aumentar ainda mais, já que a Agência Espacial Europeia também estuda passar a cooperar com os planos da China para a ILRS. Enquanto isso, a Nasa está proibida de colaborar com os chineses em projetos no espaço após decisão do Congresso americano

Fonte: Futurism e Space News 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Deixe sua opinião
Sugeridos pra você
Tags