EnglishPortugueseSpanish

A Austrália conseguiu dobrar as grandes empresas de tecnologia para que paguem ao setor de jornalismo do país para o uso de seu conteúdo. O Google já estão buscando acordos para que não sejam forçadas a parar de operar no país.

A questão é debatida há anos em várias partes do mundo, mas de forma mais radical na Austrália. Empresas como Facebook e Google fazem fortunas indexando conteúdo de portais noticiosos, que se veem cada vez mais pressionados financeiramente no mundo inteiro, como resultado de anúncios cada vez menos rentáveis. O fato de dependerem dessas fontes de tráfego para direcionar audiência também forçava acordos menos vantajosos.

publicidade

O governo dos Estados Unidos tentou interceder para evitar que empresas americanas fossem tributadas no exterior, mas a Austrália se manteve irredutível, mesmo quando o Google ameaçou tirar o seu buscador do ar no país.

O Facebook, por sua vez, não cedeu à pressão. Nesta quinta-feira (18), a rede social passou a impedir a circulação e compartilhamento de notícias em sua plataforma, como forma de driblar o novo código australiano. A justificativa da empresa é de que “a lei proposta confunde fundamentalmente a relação entre nossa plataforma e empresas de mídia que a usam para compartilhar notícias”.

Como nota o Financial Times, a situação já chama a atenção de outros países, onde o tema também é discutido, mas sem a mesma agressividade do governo australiano. Europa e Estados Unidos estão de olho na resolução da situação para ver se é possível restabelecer um novo equilíbrio de poderes entre as grandes companhias de tecnologia e empresas de comunicação.

O Google já fechou acordo com algumas das empresas de mídia do país, incluindo a Nine Entertainment, segundo informou uma fonte ao FT, e já confirmou outros acertos com outra companhia do setor, a Junkee Media.

A publicação também aponta que o Google e o governo australiano podem selar um “acordo tácito”, em que a empresa não precise fechar parcerias com todas as companhias de mídia do país para continuar funcionando, bastando apenas anunciar acordos com um número suficiente de empresas.

Não se sabe até o momento, no entanto, qual é o orçamento das grandes companhias de tecnologia e as empresas de mídia australianas. No entanto, a expectativa é que ele não supera a marca de 1 bilhão de dólares australianos.