EnglishPortugueseSpanish

O aplicativo que é a sensação do momento, a rede social de áudio Clubhouse, segue extremamente exclusiva, não só por depender de convites, mas também por ser limitada ao iOS, que tem muito menos usuários no mundo que o Android. Esta última barreira já está prestes a ser derrubada, informam os desenvolvedores.

Não se sabe exatamente quando, mas os desenvolvedores informam no blog oficial que uma versão do Clubhouse para Android será desenvolvida e lançada em breve.

publicidade

“Desde os primeiros dias, queríamos criar o Clubhouse para todos. Com isso em mente, estamos empolgados em começar os trabalhos no nosso aplicativo para Android em breve”, diz a publicação, datada de 24 de janeiro.

display de um iphone ligado mostrando o app clubhouse
Lançada ainda sem versão para Android, Clubhouse gerou furor nas últimas semanas com proposta de comunicação exclusiva por áudio. Créditos: Shutterstock

A rede social também está preparando a chegada de outros recursos para o aplicativo já existente, para o iOS. No mesmo comunicado, a empresa diz estar trabalhando em mais recursos de acessibilidade e na questão da localização do serviço, para que ele também seja acessível a quem fala outros idiomas.

Críticas ao Clubhouse

A acessibilidade é um ponto que tem gerado críticas ao Clubhouse. Por ser uma plataforma exclusiva de áudio, sem a possibilidade de incluir texto ou fotos, ela não é acessível a quem tem problemas de audição. Outras redes sociais, que apostam em conteúdo visual, como Facebook e Instagram, tentam não excluir o público trazendo múltiplas formas de interação com conteúdo, como audiodescrição e o uso de inteligência artificial para interpretar imagens, para que mesmo quem não enxergue consiga entender o que está acontecendo em uma publicação.

Outras prioridades apresentadas pelos desenvolvedores incluem buscar mais infraestrutura para conseguir manter os servidores ativos mesmo com o pico de demanda e melhorar o suporte e a moderação, tornando a plataforma mais ágil.

publicidade

Os desenvolvedores também investem nos mecanismos de descobertas de conversas às quais os usuários podem se juntar e trabalham em formas de permitir que os criadores de conteúdo na plataforma consigam monetizar seu trabalho. Entre os recursos previstos estão mecanismos de gorjetas, ingressos e assinaturas.