A Lucid Motors, fabricante americana de veículos elétricos de luxo, chegou a um acordo para se tornar uma empresa de capital aberto por meio de uma fusão com a Churchill Capital IV, empresa de aquisição de propósito específico (ou SPAC). 

A empresa resultante da fusão é avaliada em US$ 11,75 bilhões. Com o acordo, a Lucid tem um valor patrimonial inicial de US$ 24 bilhões, já que a empresa pretende levantar cerca de US$ 4,4 bilhões em dinheiro.

publicidade

De acordo com o CEO e CTO da Lucid Motors, Peter Rawlinson, o financiamento será usado para levar dois lançamentos ao mercado – o sedã de luxo totalmente elétrico, Lucid Air, em 2021, seguido pelo SUV de luxo Gravity, em 2023.

O valor obtido também será usado na expansão de sua fábrica no Arizona nos próximos anos. O objetivo é que a fábrica tenha capacidade de produzir 365 mil veículos por ano. No fim de 2020, a instalação recebeu um investimento inicial de US$ 700 milhões para produzir 30 mil veículos anualmente.

peter rawlinson lucid motors
Peter Rawlinson, CEO e CTO da Lucid Motors. Imagem: Flickr

E mais. A fusão com a Churchill Capital IV ainda ajudará a Lucid a concretizar seu plano de fornecer tecnologias de veículos elétricos a terceiros, como outros fabricantes automotivos, além de oferecer soluções de armazenamento de energia nos segmentos residencial, comercial e de serviços públicos.

Vale pontuar que Peter Rawlinson permanecerá como CEO e CTO da companhia após a conclusão do negócio, prevista para o segundo trimestre de 2021.

Concorrência com a Tesla

Embora a Lucid seja frequentemente apresentada como uma concorrente da Tesla, Rawlinson disse ao TechCrunch que o novo Lucid Air é para ser um rival do Mercedes S Class, carro-chefe da montadora alemã.

Em setembro do ano passado, a “rixa” entre a Tesla e a Lucid Motors esquentou, quando a Lucid publicou em seu perfil no Twitter um vídeo mostrando seu novo sedã eletrico, o Lucid Air, percorrendo os 400 metros (¼ de milha) de uma pista de arrancada em apenas 9,245 segundos, com uma velocidade máxima de 253 km/h.

O vídeo termina com a frase “break your own records” (“quebre seus próprios recordes”), referência à marca de 9,9 segundos no mesmo trecho, que havia sido atingida pelo Lucid Air no início de setembro, que já lhe dava o título de sedã comercial mais rápido do mundo.

Via: TechCrunch