EnglishPortugueseSpanish

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou na última quinta-feira (25) os requisitos técnicos para o Wi-Fi 6E.

O novo padrão de redes sem fio passa a contemplar equipamentos que operam na faixa de 5.925 MHz a 7.125 MHz, modificando o atual Ato nº 14.448/2017, responsável por estabelecer os requisitos técnicos de equipamentos de radiocomunicação de radiação restrita.

publicidade

Considerando possibilidades para implementações futuras, a Anatel também decidiu não estabelecer limite de largura de canal para o Wi-Fi 6E, anteriormente proposto em 320 MHz.

Wi-Fi
Novo padrão de Wi-Fi contempla equipamentos que operam na faixa de
5.925 MHz a 7.125 MHz. Iaremenko/iStock

Benefícios e conectividade do Wi-Fi 6E

Dentre os principais benefícios, o novo padrão para redes sem fio promete trazer maior taxa de transmissão e menor consumo de energia, além de melhor experiência de múltiplo acesso.

O Wi-Fi 6E também permitirá alinhar os requisitos técnicos à prática internacional. Dessa forma, a intenção é também minimizar custos de entrada de produtos no mercado nacional, visto que não serão mais necessárias uma customização específica para o Brasil.

Estima-se que os equipamentos, soluções e serviços baseados na tecnologia Wi-Fi 6E poderão estar disponíveis no mercado nacional já neste ano.

Estudos internacionais indicam que, no caso brasileiro, o valor econômico associado à destinação de 1.200 MHz na faixa de 6 GHz acumulado no período entre 2021 e 2030 (quando há previsão de disponibilidade de equipamentos) será de US$ 112,14 bilhões em contribuição para o PIB; de US$ 30,03 bilhões em excedente do produtor para as empresas brasileiras; e de US$ 21,19 bilhões em excedente do consumidor à população brasileira.

A proposta, de autoria do conselheiro Carlos Baigorri, foi aprovada pelo Conselho Diretor em unanimidade e esteve em consulta pública durante 45 dias antes do veredito.

Via: Anatel