Na segunda-feira (8), os governadores de 23 Estados brasileiros anunciaram a criação de um pacto nacional para frear a propagação do novo coronavírus. Além disso, começaram a compartilhar as propostas de medidas contra a pandemia, levantadas a partir de diálogos com prefeitos de diferentes cidades.

Isso significa que o debate sobre as restrições conjuntas pode iniciar já nesta terça-feira (9). As primeiras sugestões foram enviadas em um grupo de WhatsApp que reúne os representantes estaduais e contêm oito pontos iniciais.

publicidade

A união dos governadores, que inclui até antigos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, ocorre em um momento crítico. Nas últimas 24 horas, o Brasil teve um recorde de 1.972 mortes por Covid-19, que leva o total de óbitos a 268.370.

Na semana passada, representantes de 14 Estados já haviam assinado uma carta pedindo a adoção de medidas contra a pandemia e o reforço nos esforços para a compra de mais vacinas.

Governadores debatem medidas contra pandemia do novo coronavírus
Governadores debatem medidas contra pandemia. Créditos: Governo do Piauí/Reprodução

Medidas contra a pandemia

O primeiro ponto de debate entre os governadores é tornar obrigatório o uso de máscaras em todos os Estados, com a aplicação de multas em caso de descumprimento. Em seguida, devem vir possíveis restrições de atividades e de circulação das 21h às 6h.

Outra medida que está na lista dos governadores é o afastamento de profissionais que estiverem em grupos de risco. Eles estudam, ainda, a possibilidade de colocar funcionários dos setores público e privado em trabalho remoto.

Os mandatários estaduais devem analisar a suspensão de campeonatos esportivos e aulas presenciais por 14 dias. Em São Paulo, a retomada das aulas da rede estadual ocorreu em fevereiro e as prefeituras que não reabriram as escolas tiveram de apresentar justificativas epidemiológicas. Por fim, devem entrar em debate a criação de uma campanha publicitária e a imposição de barreiras sanitárias em rodoviárias e aeroportos.

Além da articulação conjunta de restrições contra a pandemia, o pacto firmado pelos governadores inclui a formação de um consórcio para a liberação e a compra da Sputnik V. Atualmente, os brasileiros são vacinados com a Coronavac e a Covishield (ambas com liberação para uso emergencial), e a Pfizer é a única farmacêutica cujo imunizante tem registro definitivo para uso no país.

Via: Veja