EnglishPortugueseSpanish

Um fireball rasante e bastante luminoso foi registrado por 23 câmeras da BRAMON, a Rede Brasileira de Observação de Meteoros, e do Clima ao Vivo em São Paulo, Rio de janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo. O meteoro foi percebido inicialmente em uma das câmeras de monitoramento da estação IDS/MG em Patos de Minas, gerenciada pelo Ivan Soares.

Ele chamou a atenção por sua aparente “lentidão”, o que fez com que algumas câmeras da BRAMON não gravassem o evento. Isso porque as estações da BRAMON são configuradas para só gravarem vídeos de objetos que possam ser meteoros e a velocidade é um critério de corte para evitar gravação de aviões, satélites e outros objetos mais lentos que a maioria dos meteoros. A estação MAV2/MG gerenciada por Marco Antônio Vieira, também em Patos de Minas, conseguiu registrar um trecho maior do meteoro até ele desaparecer por trás de uma árvore.

publicidade

Em São Paulo, a estação SMZ13/SP, gerenciada pelo atual presidente da BRAMON, Sérgio Mazzi, registrou o meteoro quase na vertical, surgindo alto no céu e caindo ao mesmo tempo que perdia velocidade até o ponto do sistema não gravar mais, devido à lentidão do objeto. Da mesma forma ocorreu na estação CPJ1/SP em São José dos Campos, gerenciada por Diego Rhamon.

Já em Osasco, na Grande São Paulo, a estação FGL1/SP, gerenciada por Denis Araújo, possuía uma configuração menos restritiva e conseguiu registrar os mais de 12 segundos do meteoro. Em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, a estação ASS1/RJ gerenciada por Anderson Silva fez um registro espetacular do fireball. Com uma câmera com o campo de visão mais estreito, ela registra em detalhes, o trecho final do meteoro até ele desaparecer completamente.

Fora essas, outras 17 câmeras do Clima ao Vivo, registraram a bola de fogo riscando o céu nos 4 estados do Sudeste. Confira o vídeo:

O fireball também foi fotografado pela câmera all-sky do Observatório Pico dos Dias, em Brazópolis, Minas Gerais, onde o meteoro parece cruzar a Via Láctea seguindo na direção nordeste até sumir por trás da cúpula do observatório.

Meteoro rasante registrado em Brazópolis, Minas Gerais – Créditos: Observatório Pico dos Dias
Meteoro rasante registrado em Brazópolis, Minas Gerais – Créditos: Observatório Pico dos Dias

Fireball e outros termos

Quando um pedaço de rocha espacial (meteoroide) atinge a atmosfera da Terra, devido à sua elevada velocidade, provoca o aquecimento e a ionização dos gases atmosféricos, gerando o fenômeno luminoso chamado de meteoro. Quando um meteoro é mais luminoso que o planeta Vênus, também podemos chamá-lo de fireball. Fireballs que terminam de forma explosiva, também são chamados de bólidos.

Na maioria das vezes, a rocha espacial é completamente vaporizada na passagem pela atmosfera, devido a um fenômeno chamado ablação atmosférica. Dependendo de certas condições, meteoroides maiores podem sobreviver à passagem atmosférica e chegar ao solo. Nesse caso, esses fragmentos de rocha espacial são chamados de meteoritos.

Trajetória

A partir da triangulação das imagens, a BRAMON calculou a trajetória do meteoro pela atmosfera. A rocha espacial atingiu a atmosfera às 03:46 (06:46 UT) da madrugada da segunda, 22 de março. Ele surgiu no céu a 79 Km de altitude sobre o município paulista de Guaratinguetá e seguiu na direção nordeste em uma velocidade de 54,3 mil Km/h (15,1 Km/s), num ângulo de apenas 12° em relação ao solo. Ele percorreu a distância de 187 Km em 12,4 segundos, até desaparecer a 40,2 Km de altitude sobre a zona rural de Ibertioga, em Minas Gerais.

Trajetória do Meteoro – Créditos: BRAMON
Trajetória do Meteoro – Créditos: BRAMON

Quando um meteoroide atinge a atmosfera em um ângulo muito baixo, ele demora mais para atingir as camadas atmosféricas mais baixas e densas. Por isso, ele resiste por mais tempo e alcança uma enorme distância, permitindo que várias câmeras, de locais diferentes possam registrá-lo.

No caso desse meteoro, o fato dele ser registrado em pelo menos 23 câmeras dos quatro estados da região Sudeste, parece ser um fato inédito no Brasil.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!