No Brasil não está previsto em lei a vacinação compulsória, ou seja, a população não é obrigada a tomar a dose de nenhuma vacina. Porém, existe um acordo social e moral onde fica subentendido que para o bem da nação e de sua população, todos devem se vacinar evitando a proliferação de doenças.

Mas o que acontece com quem não toma vacina? Esse questionamento tem gerado grande burburinho nos últimos anos e, principalmente nos últimos meses, momento em que a pandemia do Coronavírus assola a população e a única esperança para um avanço é a vacinação completa em massa.

publicidade
Idosa recebe vacina contra a Covid-19
O que acontece com quem não toma vacina? Foto: Rido/Shutterstock

O movimento antivacinação não é novo e está presente na sociedade desde o desenvolvimento dessas tecnologias voltadas para saúde. Um dos exemplos mais recentes do movimento é o aumento mundial dos casos de sarampo, comprovados pela OMS (Organização Mundial da Saúde). No Brasil, por exemplo, a doença havia sido declarada erradicada pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) em 2016, mas em 2019 os números de casos voltaram a alarmar as autoridades de saúde do país, já que mais de 7 mil pessoas foram diagnosticadas com a doença.

Consequências para pessoas que não tomam vacinas

Um grande exemplo atual é que quem optar por não tomar a vacina contra a Covid-19, além de estar assumindo o risco de estar completamente exposto a doença que já matou mais de 300 mil brasileiros e mais de 2,7 milhões de pessoas no mundo, pode sofrer outros tipos de sanções em todo mundo, como listado abaixo.

Em alguns estados brasileiros como São Paulo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Goiás, Pernambuco, Paraíba, Roraima e Acre, crianças sem vacina são proibidas de se matricular em instituições de ensino públicas, inclusive em creches.

Carteira de vacinação
Carteira de vacinação. Imagem: Divulgação/Ministério da Saúde

Também no Brasil é possível citar que o alistamento para o serviço militar é obrigatório para homens ao completar 18 anos e o não cumprimento do processo influi em proibição na emissão de passaporte, impossibilidade de assumir cargo como funcionário público, não obtenção da Carteira de Trabalho e etc. O que muitos não sabem é que para o alistamento militar ser realizado é necessário ter a carteira de vacinação completa.

Também existem países que proíbem a entrada de pessoas que não tenham a carteira de vacinação completamente preenchida. Claro que existem doenças com maior incidência em cada local e para evitar a disseminação delas os governos tomam essas atitudes, como na Itália, por exemplo, que possui uma lista de doenças como tétano, hepatite B e poliomielite cuja vacinação é obrigatória, implicando em multa aos resistentes. Muitos países estão adotando a mesma política em relação ao coronavírus.

Veja mais!

Inclusive, em dezembro de 2020, o STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu que governos municipais e estaduais podem garantir a vacinação compulsória. O que não é uma vacinação a força, contra a vontade do indivíduo, mas a possível imposição de sanções sobre quem se recusar a tomar a vacina contra Covid-19.

O intuito dessas ações é garantir que grande parte da população se vacine, alcançando a tão falada imunização de rebanho, além de evitar novas cepas dos vírus, que tendem a ser mais agressivas. Resumidamente, podemos afirmar que a vacinação é um ato de senso coletivo, pois a partir do momento que você está vacinado é possível garantir a segurança de diversas pessoas ao seu redor.

Via: UOL Play

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!