O Google está atualizando o seu sistema de detecção e alerta de terremotos baseado em Android, ou seja, preenchendo mazelas em locais onde não tem muitos sismômetros e nem sistema de alerta precoce. O programa foi lançado na Califórnia no ano passado e agora estará disponível na Grécia e na Nova Zelândia.

A nova etapa do Google simboliza a primeira vez que a empresa vai cuidar de tudo: desde detectar o terremoto até alertar as pessoas. Com isso, os dispositivos Android serão avisados primeiro sobre as ondas geradas por terremotos. 

publicidade

Depois, o Google analisa os dados dos telefones e envia um alerta aos usuários na área afetada. Os usuários serão notificados automaticamente, só se não quiserem e escolham sair do serviço. Para conseguir este recurso, a marca trabalhou com o Serviço Geológico dos Estados Unidos e o Gabinete de Serviços de Emergência do Governador da Califórnia para enviar alertas de terremoto para usuários do Android na Califórnia. 

Já está disponível em Oregon e será ampliado para Washington em maio. Em 2020, o Google coletou dados sobre terremotos de telefones e usou esses para fornecer informações aos usuários se eles pesquisassem “terremoto” ou “terremoto perto de mim”.

O sistema do Google funciona pois cada telefone vem equipado com um acelerômetro, que detecta movimentos, além de poder detectar ondas de terremoto primárias e secundárias, de acordo com eles.

Porém, existem algumas limitações no sistema do Google, as pessoas mais próximas do terremoto possivelmente não receberão o aviso prévio, já que serão as primeiras a detectá-lo. Por outro lado, seus telefones ajudarão a avisar outras pessoas mais distantes.

Leia também:

Fonte: The Verge

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!