EnglishPortugueseSpanish

Eta Aquáridas terá máxima na madrugada de 6 de maio e pode ter até 40 meteoros por hora

Essa semana, a Terra atravessa a parte mais densa da trilha de detritos deixada pelo Cometa Halley, e quando isso acontece, provoca uma das melhores chuvas de meteoros do Hemisfério Sul, a Eta Aquáridas. Cada pequeno fragmento deixado pelo cometa, ao atravessar nossa atmosfera em alta velocidade, gera um meteoro, que é o fenômeno luminoso popularmente conhecido como “estrela cadente”.

publicidade
Meteoros eta aquarídeos registrados pela estação de monitoramento de meteoros MAD2/DF em Brasília. Créditos: Marcelo Domingues/BRAMON
Meteoros eta aquarídeos registrados pela estação de monitoramento de meteoros MAD2/DF em Brasília. Créditos: Marcelo Domingues/BRAMON

Durante uma chuva de meteoros, vários fragmentos da mesma trilha atingem a atmosfera. No caso da Eta Aquáridas, sua atividade se inicia em 21 de abril e vai até 12 de maio, mas o momento de maior intensidade da chuva ocorre na noite entre 5 e 6 de maio, quando costuma apresentar até 50 meteoros por hora em condições ideais.

A Eta Aquáridas é a primeira das duas chuvas anuais de meteoros associadas ao Cometa Halley. A outra é a Oriónidas que acontece no mês de outubro, mas não é tão intensa quanto a Eta Aquáridas.

Cometa 1P/Halley é o responsável pelas chuvas Oriónidas e Eta Aquáridas. Créditos: W. Liller, 1986
Cometa 1P/Halley é o responsável pelas chuvas de meteoros Oriónidas e Eta Aquáridas.
Créditos: W. Liller, 1986

Todos os meteoros de uma mesma chuva atingem a atmosfera paralelamente uns aos outros. Isso porque seguem aproximadamente a mesma órbita do cometa ou asteroide de onde se originaram. Entretanto, devido ao efeito de perspectiva, para um observador na Terra, esses meteoros parecem se originar de um mesmo ponto no céu.

No caso da Eta Aquáridas, esse ponto fica na Constelação de Aquário, próximo à estrela eta Aquarii. Por isso o nome desta chuva é Eta Aquáridas, pois os meteoros aparentemente vêm da direção da estrela eta Aquarii.

Nesse modelo, os meteoros (representados pelos palitos) são todos paralelos entre si, mas quando vistos em perspectiva, parecem irradiar de um mesmo ponto. Créditos: BRAMON
Nesse modelo, os meteoros (representados pelos palitos) são todos paralelos entre si, mas quando vistos em perspectiva, parecem irradiar de um mesmo ponto. Créditos: BRAMON

Eta Aquáridas em 2021

Neste ano a presença da Lua Minguante, justamente na direção da Constelação de Aquário, deve atrapalhar um pouco a visualização dos meteoros mais fracos. Ainda assim, será uma excelente oportunidade para acordar mais cedo e observar uma das melhores chuvas de meteoros do ano.

É uma chuva bastante constante e nunca decepciona. Sempre apresenta uma boa quantidade de meteoros na noite da máxima e na noite anterior e posterior também. Eles são formados por fragmentos que atingem a Terra numa velocidade em torno de 252 mil quilômetros por hora, o que gera meteoros muito rápidos e luminosos, alguns deles deixando uma trilha ionizada por alguns segundos. Não é algo muito comum, mas alguns meteoros da Eta Aquáridas podem ser bastantes luminosos e explosivos.

Eta Aquáridas registrada no Deserto de Pilbara, na Austrália em 2013. Créditos: Colin Legg
Eta Aquáridas registrada no Deserto de Pilbara, na Austrália em 2013. Créditos: Colin Legg

No Brasil, quanto mais próximo à linha do Equador estiver o observador, mais meteoros terá chance de ver. Pessoas no Norte e Nordeste do país, em condições ideais, poderão observar até 40 meteoros por hora.

Taxa média de meteoros por hora para a Eta Aquáridas em 2021 em condições ideais de observação. Créditos: BRAMON
Taxa média de meteoros por hora para a Eta Aquáridas em 2021 em condições ideais de observação. Créditos: BRAMON

Todas essas taxas são estimadas considerando condições ideais de observação, ou seja, uma noite sem nuvens em um local afastado das luzes das grandes cidades. Essas luzes são prejudiciais porque ofuscam as estrelas e os meteoros mais tênues, então, se você está em uma cidade, procure desligar o máximo de luzes ao redor antes de iniciar as observações.

Como observar a chuva de meteoros

O momento de maior intensidade da Eta Aquáridas será na noite entre quarta-feira (5) e quinta-feira (6). Especialmente nas últimas horas da madrugada do dia 06, quando a atividade de meteoros estará mais intensa.

Os eta-aquarídeos (nome que se dá aos meteoros da Eta Aquáridas) devem começar a surgir a partir das 02h da manhã, mas só vão ficar mais frequentes a partir das 03h30, até atingir seu momento de maior intensidade no final da madrugada, antes do crepúsculo matutino. Dessa forma, a melhor estratégia para observar essa chuva será acordar por volta das 3h da manhã e aproveitar os meteoros até o amanhecer.

Meteoro eta-aquarídeo registrado em 2014, em Albion, EUA. Créditos: Mike Taylor
Meteoro eta-aquarídeo registrado em 2014 em Albion, EUA. Créditos: Mike Taylor

Mas é importante lembrar que, em meio à fase crítica da pandemia no Brasil, o melhor a fazer é evitar aglomerações e viagens desnecessárias. Além disso, esse ano, a Lua deve iluminar parcialmente o céu, independente de onde você esteja. Então, não há muito o que perder se você tentar observar a Eta Aquáridas de casa.

Procure um quintal, jardim, varanda, ou qualquer área que lhe forneça uma boa visão do céu. De preferência um local escuro ou o mais escuro possível. Uma cadeira de praia é excelente para se deitar e observar o céu de forma confortável, mas se não tiver, pode utilizar um colchão ou algumas almofadas para se acomodar.

Se a temperatura estiver baixa, cobertas e uma garrafa de café quente à mão podem ser boas companheiras para a noite de observação.

Leia mais:

Apesar do radiante da Eta Aquáridas ficar em Aquário, você não precisa estar olhando na direção dessa Constelação para ver os meteoros, pois eles surgirão em todas as partes do céu, apenas parecendo vir da direção da Constelação, conforme mostrado na imagem abaixo. Além disso, a presença da Lua na Constelação de Aquário pode reduzir a sensibilidade da visão se estiver olhando em sua direção.

Radiante da Eta Aquáridas. Créditos: BRAMON
Radiante da Eta Aquáridas. Créditos: BRAMON

Uma chuva de meteoros é um fenômeno astronômico dos mais democráticos. Pode ser observada por qualquer pessoa que possua uma visão razoável e acesso a algum pedaço de céu. Não é preciso telescópios, câmeras ou nenhum equipamento especial. Basta ter disposição para perder algumas horas de sono e olhar para o céu.

Então, se você quiser acompanhar esse espetáculo, prepare um local, ative o despertador e torça para que o tempo colabore, para que você possa contemplar uma das melhores chuvas de meteoros do ano, a Eta Aquáridas.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!