Um dos aspectos mais impressionantes de ‘Grand Theft Auto V‘ (‘GTA V’) é como a San Andreas do jogo parece com a cidade do sul da Califórnia na vida real. Agora, um novo projeto de aprendizado de máquina (machine learning) da Intel Labs pode permitir gráficos foto-realistas nos games em um futuro próximo.

Chamada “Enhancing Photorealism Enhancement”, a tecnologia pode levar o realismo para uma forma fotorrealística até “perturbadora”, de acordo com o grupo de pesquisadores da Intel que trabalha no projeto. Stephan R. Richter, Hassan Abu Alhaija e Vladlen Kolten criaram um visual que tem semelhanças inconfundíveis com os tipos de fotos que você pode tirar casualmente através da janela de um carro (veja no vídeo abaixo).

publicidade

Com o uso de inteligência artificial (IA), a ferramenta analisa todos os frames do jogo (no caso do vídeo acima, ‘GTA V’), comparando-os depois com fotografias reais de uma base de dados de várias cidades. Em seguida, escolhe as imagens que mais se assemelham às cenas do jogo e aplica melhorias em cada um dos frames, tornando-o mais realistas.

Mesmo não sendo mais nítida que um game comum, a imagem aprimorada pela Enhancing Photorealism Enhancement é capaz de confundir até mesmo um olho bem treinado. Os artifícios usados incluem borrões e sujeira que normalmente é difícil reproduzir em gráficos 3D ou em resolução 8K, além de brilhos e reflexos posicionados estrategicamente pela IA.

E isso ocorre, segundo os pesquisadores, porque as melhorias aqui “vão além do que outros processos de conversão fotorrealística” são capazes de fazer, visto que a tecnologia da Intel é capaz de integrar também informações geométricas do próprio ‘GTA V’. Os chamados “G-buffers”, como o trio chama, podem incluir dados como a distância entre os objetos no jogo e a câmera, além da qualidade das texturas, como o brilho dos carros.

Leia mais:

Resumindo: a tecnologia só pode funcionar com o que é recebido. Portanto, ao aperfeiçoar a qualidade do que está sendo alimentado para ela e a maneira como está sendo alimentada, os resultados podem ser melhorados drasticamente.

Mesmo ainda em desenvolvimento, a melhoria no que toca ao realismo do cenário já é clara. E graças às redes neurais junto ao machine learning, a Enhancing Photorealism Enhancement consegue produzir imagens a uma “velocidade interativa”. Ou seja, ao menos na teoria, é possível que a ferramenta consiga atuar em tempo real e melhore por si própria, através de atualizações.

Sendo um projeto ainda experimental, não se sabe se a tecnologia de aprimoramento de imagem encontrará interessados em sua aplicação num futuro próximo. Além do vídeo divulgado, a maioria dos dados e descobertas da equipe do Intel Labs está disponível na página do projeto, em um documento muito mais detalhado.

Fontes: The Verge e Kotaku

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!