A big tech Google é o mais novo alvo da agência reguladora da concorrência da Itália. Nesta terça-feira (13), o órgão europeu anunciou uma multa de 102,084 milhões de euros (aproximadamente US$ 123,5 milhões) contra a empresa de tecnologia por abuso de posição dominante.

O pivô da multa milionária tem nome e sobrenome: o aplicativo JuicePass. Desenvolvido pelo grupo de energia italiano Enel, o app permite a localização de terminais de recarga para carros elétricos.

publicidade

“O JuicePass oferece uma ampla gama de serviços para a recarga de veículos elétricos, que vão da busca de uma estação de recarga até a gestão do processo de recarga e a reserva de uma estação”, afirmou a agência italiana.

O problema é que uma investigação da agência reguladora da concorrência da Itália aponta que o Google não aceitou o aplicativo em seu sistema Android Auto. Isso porque os serviços do JuicePass fazem concorrência com o app Google Maps que, atualmente, permite apenas procurar estações de recarga para veículos elétricos.

App JuicePass na loja de aplicativos da Apple
Concorrente dos serviços do Google Maps, JuicePass não foi aceito no sistema Android Auto. Foto: Postmodern Studio/Shutterstock

“Com o sistema operacional Android e a loja de aplicativos Google Play, Google tem uma posição dominante (…) É necessário recordar que na Itália quase 75% dos smartphones utilizam Android”, apontou o organismo europeu. “Google, ao negar a Enel X Itália (…) a disponibilidade do JuicePass no Android Auto, limitou injustamente as possibilidades dos usuários do aplicativo da Enel”, completou.

Além da multa aplicada ao Google, a agência antimonopólio da Itália exigiu que a gigante disponibilize para a Enel X Itália e outras empresas que desenvolvem aplicativos “instrumentos para a programação de apps que funcionem no Android Auto”.

Leia mais:

Resposta do Google

Em resposta ao anúncio, o Google afirmou em comunicado que “respeitosamente discorda da decisão”.

“A prioridade número um do Android Auto é garantir que os aplicativos possam ser utilizados de forma segura enquanto se dirige. É por este motivo que temos diretrizes estritas sobre os tipos de aplicativos suportados pelo sistema”, completou a nota.

A big tech afirma ainda que existem milhares de aplicativos compatíveis com o Android Auto e que vai analisar a documentação da agência reguladora italiana para decidir os próximos passos.

Fonte: G1

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!