O avanço da tecnologia permite que a humanidade encurte caminhos, seja no trânsito, trabalho e principalmente na busca por respostas. Com isso, a inteligência artificial (IA) possui o grande potencial de ajudar os médicos a cuidar de pacientes e tratar doenças. O processo envolve desde melhorar o rastreamento do câncer de mama até ajudar a detectar a tuberculose com mais eficácia.

Ao combinar os avanços em inteligência artificial com outras tecnologias, câmeras de smartphones, por exemplo, é possível desbloquear novas formas das pessoas se informarem sobre sua saúde também.  

Nesta terça-feira (18), durante o Google I/O, a empresa compartilhou uma prévia de uma ferramenta de assistência dermatológica alimentada por inteligência artificial que ajuda a entender o que está acontecendo com a sua pele, cabelo e unhas. Através das mesmas técnicas que detectam doenças oculares diabéticas ou câncer de pulmão em tomografias computadorizadas, a ferramenta permite que as pessoas se informem mais a ponto de identificar problemas dermatológicos, apenas usando a câmera do seu telefone. 

Como funciona?

Ao longo dos anos, quase dez bilhões de pesquisas no Google são relacionadas a problemas de pele, unhas e cabelo. Além disso, dois bilhões de pessoas em todo planeta sofrem de problemas dermatológicos e embora muitas pessoas usam o mecanismo de busca da plataforma, pode ser difícil descrever o que está acontecendo com a sua pele apenas com palavras.

publicidade

A ferramenta de assistência à dermatologia com base em inteligência artificial é um aplicativo baseado na web que será lançado ainda este ano. Par ater acesso, basta usar a câmera do seu telefone para tirar três imagens da pele, cabelo ou unhas de diferentes ângulos. Depois, será questionado sobre seu tipo de pele, há quanto tempo você tem o problema e outros sintomas que ajudam a ferramenta a restringir as possibilidades.

Leia mais:

O modelo de inteligência artificial analisa essas informações e também se baseia em seu conhecimento de 288 condições para fornecer uma lista de possíveis condições de correspondência que possa pesquisar mais a fundo.

Ademais, a ferramenta mostrará informações revisadas por dermatologistas e respostas às perguntas mais frequentes, junto com imagens de correspondência semelhantes da web. A intenção não é fornecer um diagnóstico, nem ser um substituto para a consulta médica e sim, dar mais acesso a informações confiáveis.

Imagem de um telefone mostrando cada etapa do uso da ferramenta de assistência dermatológica alimentada por IA.

A inteligência artificial avalia problemas para todos os tipos de pele 

A ferramenta do Google resulta de mais de três anos de pesquisa em aprendizado e desenvolvimento de produtos. O estudo de referência  estreou a abordagem da empresa no aprendizado profundo para avaliar doenças de pele, com precisão equivalente à dos dermatologistas certificados pelos EUA. 

A inteligência artificial leva em conta atores como idade, sexo, raça e tipos de pele. O modelo do Google foi desenvolvido com dados não identificados abrangendo cerca de 65.000 imagens em diferentes grupos demográficos, passando com sucesso na validação clínica.

Nos próximos meses, o Google planeja desenvolver o trabalho para que mais pessoas possam usá-lo de ferramenta para responder a perguntas sobre problemas de pele comuns.

Fonte: Blog do Google

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!