Nesta quarta-feira (26), Joe Biden pediu à comunidade de inteligência dos Estados Unidos que dobre os esforços para estudar as origens do coronavírus. O presidente afirmou ter recebido um relatório no início deste mês com a “análise mais atualizada das origens da Covid-19” e pediu acompanhamento adicional em 90 dias.

Biden disse que a comunidade de inteligência dos EUA ainda não se uniu em torno de uma teoria comum sobre se a Covid-19 surgiu do contato humano com um animal infectado ou de um acidente de laboratório.

publicidade

“Eu agora pedi à Comunidade de Inteligência para redobrar seus esforços para coletar e analisar informações que poderiam nos trazer mais perto de uma conclusão definitiva, e para me reportar em 90 dias. Como parte desse relatório, solicitei áreas de investigação adicional que podem ser necessárias, incluindo questões específicas para a China ”, revelou Biden.

O presidente também disse que pediu à comunidade de inteligência que mantivesse o Congresso informado sobre seu trabalho neste assunto.

“Os Estados Unidos também continuarão trabalhando com parceiros com ideias semelhantes em todo o mundo para pressionar a China a participar de uma investigação internacional completa, transparente e baseada em evidências e fornecer acesso a todos os dados e evidências relevantes”, concluiu Biden.

Fonte: The Guardian

Covid-19: Joe Biden afirma estar negociando envio de vacinas a outros países

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse na última terça-feira (27) que o governo americano está discutindo um prazo para começar a enviar vacinas contra a Covid-19 para outros países. Os EUA também se preparam para a entrega de medicamentos e outros equipamentos à Índia, que teve um aumento expressivo de casos, sendo considerada o novo epicentro da doença.

“Acredito que estaremos em posição de poder compartilhar vacinas e conhecimento com outros países que realmente precisam. Essa é a esperança e a expectativa”, afirmou Biden a repórteres em declaração na Casa Branca.

Para saber mais, acesse a reportagem no Olhar Digital.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!