A escritora feminista e ex-conselheira política de Bill Clinton, Naomi Wolf, foi banida do Twitter após divulgar na rede social desinformações antivacina. As informações são da BBC News.

No tweet, a americana afirmou que as vacinas seriam um tipo de “plataforma de software que pode receber uploads” e que “a melhor maneira de mostrar respeito pelos profissionais de saúde, se você for saudável e tiver menos de 65 anos, é se socializar de maneira sensata e se expor a um baixo nível de carga viral.”

publicidade

A escritora também comparou o Dr. Anthony Fauci, imunologista e principal conselheiro da Covid-19 nos Estados Unidos, com o diabo.

Em um outro tweet recente, ela disse que a “urina e as fezes das pessoas vacinadas” deveriam ser separadas do esgoto geral até que soubessem como isso pode afetar o abastecimento de água potável. Além disso, segundo o tabloide The Guardian, durante um Comitê do Congresso dos EUA, ela também afirmou que os passaportes para vacinados “recriariam uma situação muito familiar” que resultariam em “o início de muitos, muitos genocídios.”

Para muitos usuários do Twitter, a decisão foi a mais sensata e veio em boa hora. Para Steve Silberman, jornalista e historiador do autismo premiado, as postagens da também jornalista são as piores que já viu.

“Há 20 anos leio vil propaganda antivacinas e as afirmações de Wolf são as mais exageradas e delirantes que já vi”, escreveu o escritor.

Da mesma forma, muitos criticaram, alegando que a medida fere a liberdade de expressão. Mas, segundo o Twitter, a suspensão é permanente e nenhum recurso será permitido.

Leia mais!

Quem é Naomi Wolf?

Naomi Wolf, que é feminista, ficou conhecida após o lançamento de seu best-seller ‘O Mito da Beleza’, que criticava diversos padrões sociais impostos as mulheres na sociedade. O livro foi publicado em 1990 e se tornou um dos mais vendidos no mundo.

Entretanto, boatos sobre o exagero da autora e desleixo com o uso de dados sempre pairavam no ar. Agora, com os últimos depoimentos negacionistas e antivacina da autora, grande parte do seu público se viu decepcionado.

Em sua obra mais recente, “Outrages: Sex, Censorship, and the Criminalization of Love”, de 2019, que aborda a criminalização da homofobia na Inglaterra, o lançamento chegou a ser cancelado pela editora após um apresentador e historiador da BBC apontar erros graves de interpretação de dados durante uma entrevista.

Com isso, as estatísticas a respeito de mulheres com anorexia nos Estados Unidos, que constam em seu livro ‘Mito da Beleza’, também foram colocadas em xeque. Todavia, o livro foi uma importante ferramenta inicial para a aceitação do corpo, sendo considerado o pontapé da 3ª onda do feminismo no mundo e servindo de inspiração para muitas mulheres.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!