Os Estados Unidos conseguiram recuperar milhões de dólares em criptomoedas pagos a hackers, anunciou o Departamento de Justiça nesta segunda-feira (7). Os valores que os investigadores conseguiram reaver faziam parte do resgate após o ataque que levou ao fechamento de um oleoduto na costa leste do país, no mês de maio.

A empresa que opera o Colonial Pipeline foi vítima de um ataque cibernético debilitante. Como resgate, pagou US$ 4,4 milhões (R$ 22 milhões, na cotação desta segunda). A operação para reaver o valor foi liderada pelo FBI, com cooperação da operadora. O Departamento de Justiça dos EUA recuperou aproximadamente US$ 2,3 milhões (R$ 11,6 milhões) em bitcoins.

publicidade

Leia mais:

De acordo com o CEO Joseph Blount, em entrevista ao The Wal Street Journal ainda no mês passado, eles atenderam ao pedido dos hackers porque os funcionários não sabiam a magnitude da invasão e quanto tempo levariam para restaurar as operações. O ataque do tipo ransomware é justamente um bloqueio dos dispositivos com pedido de resgate para desbloqueio.

Mesmo com o pagamento, a empresa notificou o FBI e seguiu as instruções do órgão para ajudar a rastrear a carteira de criptomoeda usada pelos hackers, provavelmente sediada na Rússia. As autoridades norte-americanas ligaram o ataque à Colonial Pipeline Co. ao grupo conhecido como Darkside.

Imagem mostra dois homens ao lado de um duto da Colonial Pipeline
A Colonial Pipeline é responsável pela distribuição de 45% de todo o combustível consumido na Costa Leste dos Estados Unidos. Imagem: Reprodução/Colonial Pipeline

“Seguir o dinheiro continua sendo uma das ferramentas mais básicas, embora poderosas, que temos”, destacou Lisa Monaco, procuradora-geral adjunta durante o anúncio do Departamento de Justiça. Ela ainda acrescentou que a extorsão digital é impulsionada justamente pelo pagamento dos resgates.

“O anúncio de hoje demonstra que os Estados Unidos usarão todas as ferramentas disponíveis para tornar esses ataques mais caros e menos lucrativos para empresas criminosas”, emendou a procuradora-geral. O Ministério Público do Distrito Norte da Califórnia autorizou a apreensão do valor.

Stephanie Hinds, procuradora do Distrito Norte, destacou ainda que tecnologias que tornam pagamentos anônimos “não fornecerão uma cortina por trás da qual os criminosos terão permissão para roubar os bolsos dos trabalhadores americanos”.

Via: CNN

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!