O McDonald’s apontou nesta sexta-feira (11) que teve informações roubadas por hackers nos Estados Unidos, Coreia do Sul e Taiwan. A rede de fast food revelou que recentemente contratou consultores externos para verificar as ações não autorizadas nos sistemas internos de segurança.

A empresa revelou em um comunicado interno quais informações os hackers tiveram acesso.

publicidade
Área interna de uma loja do McDonald's
McDonald’s: hackers roubam dados da rede de fast food. Imagem: Tada Images/Shutterstock

Nos Estados Unidos os invasores não foram capazes de encontrar dados de clientes, mas puderam colher informações de contato comercial para funcionários e franqueados, além de dados técnicos de algumas lanchonetes, como, por exemplo, capacidade de assentos e metragem de áreas de lazer.

Segundo a empresa, nenhum dado pessoal ou confidencial dos funcionários norte-americanos foi violado. No entanto, a rede de fast food pediu que seus colaboradores e franqueados dos EUA fiquem atentos aos e-mails de phishing.

Já os clientes e funcionários da rede na Coreia do Sul e Taiwan não tiveram a mesma sorte. Além dos nomes, o McDonald’s disse que e-mails, endereços de entrega e número de telefone foram coletados pelos invasores indesejados.

Leia também!

A empresa afirmou que suas filiais da Coreia e Taiwan informaram as autoridades locais sobre a invasão e que, assim que possível, entrarão em contato com os clientes e funcionários afetados. O McDonald’s não revelou o número total de dados roubados, mas disse que se trata de um percentual pequeno.

Funcionários da África do Sul e Rússia também serão alertados sobre uma possível invasão aos seus dados.

Diferente do que aconteceu recentemente à Colonial Pipeline, nos Estados Unidos, a invasão aos sistemas do McDonald’s não se trata de um ataque ransomware – quando os hackers extorquem a empresa para devolver o controle dos dados e operações.

Via: The Wall Street Journal

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!