Em quase todo o Brasil, a transmissão da Covid-19 segue em níveis “extremamente altos”, de acordo segundo um mapa inédito feito por pesquisadores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Isso é um sinal de que a pandemia do novo coronavírus continua descontrolada no país.

Segundo os dados do SIVEP-Gripe, Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe do Ministério da Saúde, foi observado a evolução do número de hospitalizações por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e chegaram a conclusão que na semana iniciada em 7 de junho, a transmissão do vírus está “extremamente alta” em todas as Unidades da Federação, tirando Roraima e Espírito Santo que estão “muito alta”.

publicidade

Ou seja, segundo Leonardo Bastos, que é estatístico e pesquisador em Saúde Pública do PROCC (Programa de Computação Científica da Fiocruz (Procc/Fiocruz), os 24 Estados e o Distrito Federal possuem uma taxa superior à de 10 hospitalização por cada 100 mil habitantes. “Valor referência de algo extremamente alto”, disse ele em sua conta no Twitter.

Isso se chama “transmissão comunitária” e ocorre sem vínculo a um caso confirmado. Portanto, não é mais possível rastrear qual a origem da infecção, indicando que o vírus circula entre as pessoas, viajando ou não para o exterior.

Bastos também fala que, embora hospitalizações não sejam necessariamente casos confirmados: “podemos assumir que o número de casos é proporcional ao número de hospitalizações”. Ele também disse que “a grande maioria das hospitalizações por SRAG são covid, sim”, por mais que nem todas as notificações de SRAG serem associadas à Covid-19.

Leia mais:

Estabilidade da Covid-19?

Muito se fala sobre a “estabilidade da pandemia de Covid-19” no Brasil, porém, não significa que ela está sob controle. Sendo que os casos permanecem em “um patamar absurdamente elevado, que gera, por consequência, um número altíssimo de internações e de óbitos”, disse à BBC News Brasil Isaac Schrarstzhaupt, que é cientista de dados e coordenador na Rede Análise Covid-19.

“Para ilustrar, ontem (10/6), tivemos quase 90 mil novos casos notificados. Em um dia. Quantas internações e quantos óbitos sairão desses 90 mil casos só de um dia de notificações?”, informou. Ele alertou que desde abril tem havido uma “reversão da tendência de queda em patamares elevados”.

Em um último desdobramento da crise da Covid-19 no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro comentou que pediu ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, uma resposta para liberar vacinados e recuperados de usar máscaras. A ideia já foi criticada por especialistas em saúde pública.

Na última sexta-feira (11), Bolsonaro defendeu novamente a proposta e afirmou que a decisão final será de governadores e prefeitos: “Eu não apito nada”. Ademais, o Brasil é o terceiro país em número de casos de Covid-19 (17,2 milhões) e o segundo em número de mortes (482 mil).

Fonte: BBC

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!