Novidade para quem gosta de aplicativos de namoro! Nesta segunda-feira (16), o Tinder anunciou que nos “próximos trimestres”, os usuários poderão verificar sua identidade no aplicativo para todo o mundo. O recurso foi lançado no Japão em 2019, onde as pessoas podem verificar se têm pelo menos 18 anos. A verificação de identidade será gratuita para todos, da mesma forma como o recurso de verificação de fotos.

Segundo um porta-voz do Tinder, a empresa usará a verificação de identidade para fazer referência cruzada de dados, como o registro de agressores sexuais em regiões onde essas informações são acessíveis. O Tinder já faz isso por meio de pesquisa de cartão de crédito quando os usuários se inscrevem para uma assinatura. 

publicidade

O recurso de verificação de foto existente adiciona uma marca azul semelhante ao Twitter ao perfil de um usuário, enquanto a verificação de identidade renderá outro símbolo. “Criar uma solução verdadeiramente equitativa para a Verificação de ID é um projeto de segurança desafiador, mas crítico, e estamos procurando nossas comunidades, bem como especialistas, para ajudar a informar nossa abordagem”, escreveu a empresa.

Por mais que o Tinder tenha feito investimentos contínuos em recursos de segurança, a verificação de identidade gratuita só pode ir até certo ponto – ainda mais quando voluntária, colocando o ônus sobre as pessoas para decidir se eles se sentem confortáveis ​​em encontrar usuários não verificados. 

Leia mais:

Em março de 2021, Match Group, a empresa-mãe do Tinder, anunciou sua contribuição de sete dígitos para a empresa de verificação de antecedentes sem fins lucrativos Garbo, para que se possa ajudar a detectar usuários de aplicativos de namoro com histórico de violência ou abuso.

Embora o Tinder tenha dito que não usará a tecnologia da Garbo para potencializar suas ferramentas de verificação de identidade, a empresa observou ao TechCrunch que terá mais informações para compartilhar sobre verificações de antecedentes via Garbo no outono. O Tinder não compartilhou se o acesso às informações do Garbo terá acesso pago. No momento da aquisição, o Match Group afirmou que determinaria o preço com base em fatores como a adoção do usuário.

“A verificação de ID é complexa e cheia de nuances, e é por isso que estamos adotando uma abordagem de teste e aprendizado para a implementação”, explicou Rory Kozoll, chefe de produtos de confiança e segurança da Tinder. 

Ademais, ele disse que “uma das coisas mais valiosas que o Tinder pode fazer para que os membros se sintam seguros é dar-lhes mais confiança de que seus pares são autênticos e mais controle sobre com quem eles interagem”, sendo por isso que o produto começará como voluntário, exceto onde exigido por lei.

Fonte: Blog do Tinder

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!