O Ministério da Saúde bloqueou lotes da vacina CoronaVac que foram suspensos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ao todo foram 25 lotes e todos ficarão interditados até que a agência termine a apuração sobre a situação dos imunizantes.

Além disso, a pasta iniciou o rastreamento de doses que tenham por ventura sido aplicadas. Com isso, os pacientes ficarão em acompanhamento por equipes do Sistema Único de Saúde até a decisão final da Anvisa, para avaliar possíveis eventos adversos.

publicidade

O conjunto dos lotes totaliza 12,1 milhões de doses, enviadas da farmacêutica Sinovac, da China. De acordo com a Anvisa, as vacinas foram envasadas em uma fábrica que não foi inspecionada, nem aprovada pela agência brasileira.

Leia mais:

Através de uma nota, o Instituto Butantan disse que a suspensão não deve “causar alarmismo”. Sendo assim, o órgão informou que foi ele que comunicou o fato à Anvisa. Ademais, o comunicado diz que houve uma “mudança em uma das etapas do processo de formulação da vacina, nas instalações fabris da Sinovac, que pode ocorrer no processo de produção”.

“Vale reiterar que a fábrica chinesa tem certificação de que segue boas práticas internacionais, a GMP, e também foi feita a inclusão na Anvisa. O Butantan informa que enviou toda a documentação de qualidade vinda da China, da Sinovac, sobre os lotes citados”, afirmou o centro de pesquisa.

Fonte: Agência Brasil

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!