A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) “entrou em campo” novamente quase uma semana após impedir a realização do jogo entre Brasil e Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.

Desta vez, o alvo foi Willian, que faria sua reestreia no Corinthians em jogo contra o Altético-GO neste domingo (12), pelo Campeonato Brasileiro.

publicidade

Na noite de sábado (11), a Anvisa divulgou uma nota alertando que o jogador não poderia atuar por não ter cumprido quarentena de 14 dias após chegar da Inglaterra, em 1º de setembro.

No começo da noite, uma fiscal da Vigilância Sanitária foi ao hotel onde o Corinthians está hospedado na capital goiana. Em conversa com diretores do clube, ela explicou, inclusive, que Willian poderia ser preso se a determinação fosse descumprida. Horas depois, o Corinthians divulgou a lista de relacionados para a partida, sem o novo reforço.

Em formulário preenchido no desembarque no Brasil, o jogador comprometeu-se a fazer quarentena de 14 dias como medida de prevenção contra a disseminação da Covid-19.

Anvisa também fez alerta sobre Andreas Pereira, do Flamengo

Além do caso de Willian, a Anvisa também fez um alerta em relação a Andreas Pereira, do Flamengo, que também entraria em campo contra o Palmeiras, neste domingo (12).

Neste caso, o jogador está há 23 dias no Brasil e o clube rubro-negro disse que ficou surpreso com a determinação da agência reguladora.

Leia mais:

Veja a íntegra da nota da Anvisa sobre o caso de Willian:

“O jogador Willian Borges da Silva, do time do Corinthians, que ingressou no Brasil com passagem pelo Reino Unido nos últimos 14 dias antes de sua chegada, está em período de quarentena, de acordo com o previsto pela Portaria Interministerial nº 655/2021.

Há informações de que o atleta jogará amanhã, domingo (12/09), em Goiânia, no estádio Antônio Accioly, contra o Atlético Goianiense, descumprindo as regras sanitárias brasileiras.

Diante da informação constante na Declaração de Saúde do Viajante (DSV) do referido jogador sobre sua passagem pelo Reino Unido, a Anvisa emitiu, no aeroporto de Guarulhos, o Termo de Controle Sanitário do Viajante – TCSV no dia 01/09, informando sobre a obrigatoriedade de quarentena por 14 dias. O viajante tomou ciência e assinou o TCSV, comprometendo-se a cumprir as regras sanitárias vigentes no país.

Seguindo o procedimento já estabelecido para casos de viajantes brasileiros oriundos de áreas sob restrição temporária, a coordenação da Anvisa em Guarulhos enviou na mesma data ao plantão da Vigilância Epidemiológica de São Paulo e à Rede Notifica do Ministério da Saúde a informação sobre o jogador, para seu monitoramento e vigilância ativa.

Em 06/09 e em 08/09, a Anvisa reiterou a informação, solicitando retorno sobre as providências adotadas. A Agência também comunicou ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde Nacional e local, para acompanharem o viajante.

No entanto, considerando que notícias não oficiais recentes chegaram à Anvisa dando conta de que o jogador vem circulando em treinamentos e que participará de jogo neste domingo em outro estado da Federação, a Anvisa notificou de imediato o CIEVS para que adote as ações necessárias junto à Vigilância Sanitária do Estado ou Município para o cumprimento das medidas sanitárias, com vistas a evitar que o jogador descumpra o período de quarentena.

Neste sábado (11/09), a Anvisa emitiu oficio à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e ao Sport Club Corinthians Paulista, advertindo que o jogador assinou o TCSV junto à Anvisa e está impedido de participar de atividades como treinos e partidas de futebol, devendo cumprir o autoisolamento, sob pena de responsabilização civil, administrativa e penal”.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!