Você acredita que já se passaram vinte anos? Em 14 de setembro de 2001, o Nintendo GameCube foi colocado à venda pela primeira vez no Japão. Dois meses depois, em 18 de novembro, o console e aposta da Nintendo de encarar comercialmente um tímido Xbox e um gigante PlayStation 2 (PS2) foi lançado na América do Norte.

O videogame foi o primeiro da Nintendo a usar discos óticos, embora, o console não tenha sido projetado para reproduzir DVDs ou CDs como os rivais faziam. Na época, o recurso era considerado, acredite, um diferencial de venda. A versão limitada do hardware – e extremamente brilhante – Panasonic Q, exclusiva do Japão, incluía um DVD player, mas foi descontinuada depois de apenas alguns anos no mercado.

publicidade
nintendo gamecube
14/09/2021 marca o aniversário de 20 anos do Nintendo GameCube. Imagem: Gary L Hider / Shutterstock.com

Embora o GameCube não fosse o melhor console na época, ao menos cumpria a missão de ser um centro de entretenimento completo para a sala de estar ou quarto e apresentava uma biblioteca sólida de títulos, incluindo ‘Super Smash Bros. Melee’, ‘Metroid Prime’, ‘Pikmin’, ‘The Legend of Zelda: The Wind Waker’, ‘Super Mario Sunshine’, ‘Luigi’s Mansion’, ‘Chibi-Robo!’, ‘The Legend of Zelda: Ocarina of Time’, entre muitos outros. A plataforma ainda contava com vários jogos exclusivos, como ‘Star Wars Rogue Squadron II: Rogue Leader’ e ‘Metal Gear Solid: The Twin Snakes’ (remake de ‘Metal Gear Solid’ codesenvolvido pela Silicon Knights que apresentou novas cutscenes do cineasta Ryuhei Kitamura, famoso por ‘Godzilla: Final Wars’).

E fato curioso – e até inacreditável, vindo da “Big N”: o GameCube foi o primeiro console da Nintendo a não ser lançado com um jogo que apresentava Mario!

O videogame também foi o lar de uma das grandes controvérsias dos fãs em meados dos anos 2000, quando o exclusivo ‘Resident Evil 4’ do GameCube foi portado para o PS2 – plataforma na qual o título fez muito, mas muito mais sucesso. Na época, o diretor Shinji Mikami assinou um acordo com a Nintendo preocupado com o futuro da indústria de jogos , porque tanto a Sony quanto a Microsoft lançaram consoles como um negócio paralelo, e não estava claro, pasmem, se as empresas “iriam durar muito no mercado”.

Nintendo GameCube foi lançado para disputar mercado com o Xbox e o PS2. Imagem: Paul Stringer / Shutterstock.com

“Na época, eu estava pensando: ‘Bem, a Nintendo pode ser a única que restou no futuro que teria jogos para as pessoas – não apenas crianças, mas também adultos’. Esse era o pensamento na época”, disse Mikami à revista Variety em entrevista no final do ano passado. “Então, eu descobri que estava completamente errado”. O diretor ainda revelou que, de forma , se ofereceu para colocar “o trabalho e a vida” dele em risco para manter o game exclusivo do GameCube. Cômico em relação à situação nos dias de hoje, ele agora reconhece que o lançamento multiplataforma foi “provavelmente a coisa certa a fazer”.

Um dos maiores legados do Nintendo GameCube foi, de fato, o design do controle. Especialistas e fãs debatem até os dias hoje sobre como o projeto de joystick para o console foi “praticamente perfeito” de tão bom que era. O sucesso e apreço do acessório é tanto que a Nintendo até o relançou apenas como forma de divulgar ‘Super Smash Bros. Ultimate’ para Switch.

gamecube controle
Controle – extremamente confortável – do GameCube é o maior legado do console. Imagem: Tinxi / Shutterstock.com

Porém, a vida útil do GameCube foi curtíssima. Em 2006, apenas dois anos depois da estreia no mercado, a Nintendo lançou o Wii e, um ano depois, o console da geração anterior foi descontinuado. Não foi o sucesso que a “Big N” esperava, talvez, mas o videogame ocupa um lugar importante na história dos consoles. Feliz aniversário, GameCube!

Leia mais:

Fonte: Kotaku

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!